Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1777 - 07 de Maio de 2021

Minas Gerais está com epidemia de dengue

Edição nº 1355 - 29 Março 2013

A Secretaria Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou, nesta terça-feira (26), que existe uma epidemia de dengue no estado. Conforme boletim divulgado pela SES-MG, em 2013, até o dia 22 de março, foram registradas 28 mortes em decorrência da doença e 123.694 notificações. Mais de 33 mil pessoas tiveram casos de dengue clássico, confirmados.

A região mais crítica no Estado continua sendo o Triângulo Mineiro, onde ocorreram 13 dos 28 óbitos confirmados pela Secretaria de Saúde. Uberaba é o município com mais mortes confirmadas, nove e, o segundo com mais notificações, 10.479. O município com a maior taxa de notificações por 100 mil habitantes é Veríssimo (14.166), no Triângulo Mineiro, seguido por Ibiá (7.756) e Lassance (6.748), no Norte, e Delta (6.118) e Centralina (5.832), também no Triângulo. 

Segundo a secretaria, mais de 80% dos focos de larvas dos mosquitos estão nas casas e diversas medidas tentam diminuir essa constatação, já que o de maior infestação, em função do ciclo de chuvas, pode ainda nem ter chegado.

 

Uso massivo de água sanitária

 

Durante coletiva a, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, anunciou a utilização de hipoclorito de sódio (água sanitária) como nova estratégia para o combate à dengue no Estado. A medida vem complementar as ações já desenvolvidas para o combate às larvas do mosquito. Segundo o secretário, a eficácia da utilização do produto no combate às larvas do mosquito transmissor da doença é reconhecida pelo Ministério da Saúde.” 

Pela primeira vez, vamos fazer o uso massivo da água sanitária com a função de larvicida. Os agentes de endemias, em visitas aos domicílios, levarão a água sanitária para as famílias nos pontos onde existirem maior cadeia de transmissão da doença”, declarou. 

Segundo o secretário, a  SES irá distribuir cerca de 1 milhão de litros do produto para a população de 237 municípios que apresentam alto índice de transmissão da doença. As cidades serão contempladas até a segunda quinzena de abril e três milhões de pessoas serão atendidas. Os agentes de endemias irão levar o produto e as orientações necessárias para o uso.  “Estamos comprando cerca de 2 milhões de litros, fazendo esforço junto ao mercado. A ideia é que na segunda semana de abril já faça esse uso em larga escala da água sanitária enquanto larvicida” explica o secretário de saúde Antônio Jorge de Souza. 

Em Sacramento, secretaria não revela dados
Em Sacramento, que tinha notificados 27 casos e 67 suspeitos (ET de 8/3), desde então a Secretaria de Saúde guarda em segredo a situação. Embora várias vezes solicitados, os dados não são revelados. Jogam o problema de um servidor para o outro. Ligando para a Vigilância Sanitária, fomos informados pela funcionária Francisca para falar com Eliza, diretora de Saúde. Na terça-feira, 26, foi feito o contato. Ela muito solícita e educada se comprometeu a enviá-los, solicitando inclusive o endereço eletrônico (e-mail) pra o envio dos dados e informações complementares. Eliza foi também questionada sobre um suposto caso de suspeita de dengue hemorrágica, porém não o confirmou. Até o fechamento da edição na quinta-feira, 28, as informações não haviam sido enviadas. Segundo fonte do jornal, os funcionários são proibidos de passar qualquer dado à imprensa.
Buscando os dados na Secretaria Regional de Uberaba, a responsável informou que é obrigação de cada município fornecer os dados e informações relativas, até como alerta para a população ajudar no controle. Por que, então, esconder?