Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1751 - 30 de Outubro de 2020

Grupo Espírita realiza 51º Encontro de Evangelização de Espíritos

Edição nº 1449 - 23 Janeiro 2015

O Grupo Espírita Fé, Esperança e Caridade  e o Colégio Allan Kardec realizaram entre os dias 16 a 18 de janeiro o 51º Encontro de Evangelização de Espíritos,  que teve abertura na noite de sexta-feira 16; prosseguindo no sábado, com seminários durante todo o dia e, à noite teatro, encerrando-se às 12h do domingo.

Os  mais de 300 participantes do Encontro foram distribuídos em dois espaços distintos, conforme explica a presidenta do Grupo Espírita Fé, Esperança e Caridade, Alzira Bessa França Amui, coordenadora do seminário. “Depois de 25 anos de encontros, estamos mudando o modelo de trabalho. Estamos com dois grupos, cerca de 240 pessoas no Colégio Allan Kardec e 80 pessoas na Escola Eurípedes Barsanulfo. Essa é uma proposta adotada este ano para  fazer um trabalho mais dinâmico e participativo, a fim de que as pessoas tenham a oportunidade de interagir e levantar suas experiência e vivências neste seminário. Na Escola Eurípedes Barsanulfo estamos com pessoas que trabalham conosco há mais de 20 anos”.

De acordo com Alzira, o seminário abordou este ano o tema, 'Reencarnação, um processo divino de evolução e educação', com o objetivo de estudar a reencarnação como oportunidade que todos têm de nascer de novo. Como sempre, os encontros no Colégio Allan Kardec são abrilhantados pelo  Coral Corina Novelino, regido pelo maestro Moacir Camargos, que fez no sábado uma belíssima apresentação com a música, 'O Irmão'; e com o Grupo Teatro do Colégio, que tem a Profa. Francine Amui, como diretora. 

 “- O teatro, resultado das oficinas realizadas todos os domingos, focou a necessidade de o ser humano olhar para os seus sentimentos e compreender a razão da memória”, explica a coordenadora, destacando um novo modelo.  “Estamos passando nosso modelo para uma prática, para  estimular as pessoas a aplicar e vivenciar o que Jesus nos ajudou. Não adianta ficar mais só no discurso. É  preciso que compreendamos as injunções que a vida nos tem proporcionado para ver se  auxiliamos a minorar a dores e conflitos que a humanidade vem passando”. 

Ainda de acordo com Alzira, os Encontros serão  realizados a partir deste ano a cada dois meses. “Devido a demanda, não conseguimos atender todos de uma só vez. Tivemos no encontro de julho 480 pessoas e  fica inviável e é improdutivo para os objetivos do trabalho. Então, realizaremos seminários de dois em dois meses e, mensalmente, teremos um trabalho na Escola Eurípedes Barsanulfo, com este grupo, que está iniciando neste encontro”.  As homenagens a Eurípedes Barsanulfo  em 1º de maio e 1º de novembro, continuam a ser realizadas e também os encontros de julho e janeiro. 

 

De Aracjau para Sacramento

Luzimary Paixão e Alda Carvalho vieram  de Aracaju para o Encontro. “Conhecer o trabalho de Eurípedes para qualquer um de nós é de uma grandeza incalculável. Já venho acompanhando sua obra há 15 anos. Nunca participei de seminários, esta é a primeira vez e digo que, se tiver condições virei todos os anos, a partir de agora, porque tudo o que é dito aqui todos  temos conosco, o que falta é o despertar para darmos o próximo passo e partirmos para nossas ações. E precisamos, realmente, manter isso vivo dentro da gente, pois, para mudarmos, só precisamos de atitudes”.  Em Aracaju, Luzimary, que é médica e Alda, aposentada trabalham no Grupo Espírita Irmão Fego, um dos grupos mais antigos da cidade, fundado há 96 anos. E realizam também, em memória a Eurípedes, o 'Culto das 9'. 

 

Samba Hotel vem suprir carência de hospedagem

A presidenta da Fundação Lar de Eurípedes, Alzira Amui, e sua filha, a arquiteta Francine França Amui foram primordiais para a construção do Samba Hotel Viva Sacramento. Falando sobre a obra, que deve ser inaugurada nos próximos meses, Alzira diz que a Fundação Lar de Eurípedes não tem nenhuma participação na administração do empreendimento. 

 “- O que nos levou a ceder o terreno para a empresa foi justamente a carência de hotelaria em Sacramento e, além de representar um recurso mensal para mantermos a escola, que este ano completa 40 anos”, explica, esclarecendo que o hotel está entregue a uma grande rede de hotelaria, Samba Hotéis. 

 

A expectativa da presidenta é de que, “Sacramento tenha uma rede de hotelaria que a cidade ainda não tem, carente ainda na demanda de visitantes e turistas. Neste encontro, por exemplo, tivemos um grupo de participantes vindos de Sergipe que se hospedou em Araxá; outro grupo de Campo Grande, em Uberaba e outros grupos,  no Águas do Vale, portanto o Samba Hotel vem para suprir essa demanda na cidade”.