Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Pastoral Familiar em festa de confraternização

Edição nº 1442 - 28 Novembro 2014

A Pastoral Familiar reuniu-se no último sábado 22, para uma festa de confraternização no Salão São Clemente. Um momento de encontro e de festa idealizado pelos coordenadores, o casal Arlete Auxiliadora Manzan Frois e Wantuil Frois, e a presença de mais de 60 casais de todos os grupos da Paróquia do Santíssimo Sacramento.  

Presente à confraternização, o pároco da Basílica do Santíssimo Sacramento, Pe. Sérgio Márcio de Oliveira, fala da importância do Encontro. “O seu nome já diz  a importância dessa pastoral, 'Familiar', que lida com a família, que é a base, a estrutura de toda uma sociedade e é hoje, a maior pastoral que temos na  basílica. A Pastoral Familiar é fundamental numa paróquia e é dela que sai a Pastoral dos Noivos, que trabalha o futuro da família e,  em quase todas as demais pastorais da paróquia, temos membros da Pastoral Familiar. É uma pastoral muito presente, atuante,  que ajuda no trabalho de evangelização e está sempre presente nos eventos, sejam sociais sejam paróquias. Um trabalho muito importante desde a realização do Farol. Tanto a Pastoral Familiar como  todas as demais  é levar o evangelho a todos, é ser igreja”, avalia. 

Padre Sérgio destaca ainda que o trabalho da Pastoral Familiar é mais silencioso. “Ele acontece nos grupos quinzenalmente, meditando, refletindo a vida e a  palavra de Deus com as famílias, tendo como ápiceo Farol - Famílias Reunidas em Oração sob a Luz do Senhor”,  explica, e completa afirmando que para 2015, o trabalho continua.

“- Sou favorável ao ditado de que, 'em time que está ganhando não se mexe'.  Claro que onde há seres humanos há limitações e há dificuldades, mas que vão sendo superada com eficiência. O ano de 2014 foi extremamente positivo e tenho a certeza de que em 2015 não será diferente”. 


Cerca de 100 casais compõem a Pastoral Familiar

De acordo com o casal Arlete e Wantuil, em 2014 todos os grupos da Pastoral Familiar  foram muito atuantes. “Tivemos em 2014 vários eventos com a participação de todos os casais. Somos 97 casais distribuídos em 17 grupos e, com sucesso, fizemos o Costelão, em favor da CIJU e da restauração das imagens da basílica. Importante ressaltar, a realização do Farol com a participação de 25 novos casais e que hoje são membros da Pastoral”. 

Implantado na cidade pelo ex-pároco, padre Valmir Ribeiro, o Farol tem o objetivo de promover o encontro de casais para refletir a vida a  vida familiar. “Vale ressaltar que é aberto a todos os casais, a começar os de união estável, mas, também aos de segunda união e, também, os não casados, abrangendo todos os tipos de família. Felizmente, graças ao papa Francisco, a Igreja tem mudado a sua visão a respeito das famílias e não quer se descuidar desses casais de segunda união e daqueles que vivem, mesmo sem serem casados, uma união estável. A Igreja está atenta a esse tipo de casal moderno e tem dado abertura a todos. Devemos seguir  o que o nosso mentor maior, o Papa  Francisco diz: “Quem sou eu para julgar as pessoas e suas opções sobre o tipo de família”, completa Wantuil.

 Na vida, no dia a dia de todos, nem tudo são flores e na vida de Igreja não é diferente. De acordo com Arlete, a Pastoral Familiar encontra alguns obstáculos que têm de ser superados. “Por exemplo, a correria da vida moderna para a sobrevivência familiar. Todos nós estamos sempre muito ocupados com o trabalho e com a família, dificultando um pouco os compromissos com a Pastoral e suas atividades. Mas todos têm dado o máximo, na medida do possível, tanto nos eventos como nas reuniões quinzenais, que são de extrema importância para a vida do casal e relacionamento social dentro do grupo, dentro da Pastoral Familiar como um todo, para o entendimento da proposta da própria pastoral em si e do  Farol”. 

Para 2015, o planejamento, segundo o casal já está sendo estudado. “Alguma coisa já está definida para o início de fevereiro, um evento social em benefício da reforma da Santa Casa. O Costelão 2015, que terá a renda revertida para a APAE, já está agendado, assim como o V Farol”. 

 

Wantuil e Arlete destacam ainda a comissão de casais que toma frente nos grandes eventos:  Armando e Manja,  Cairon e Renata, Ezio e Zete, Guilherme e Thaíse, Jesus e Meire, José Alexandre e Sílvia, Murilo e Daniela e Willian e Paula, além do apoio espiritual e social do pároco Pe. Sérgio Márcio.