Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Devotos celebram Festa de São Geraldo

Edição nº 1442 - 28 Novembro 2014

A festa de São Geraldo no último domingo 23, encerrou o calendário de festas religiosas na cidade este ano. A festa não teve a tradicional quermesse, apenas o tríduo religioso no último final de semana, culminando no domingo, com o almoço no agora bem montado Salão da Matriz d'Abadia e missa seguida de procissão, na Capela do santo padroeiro, no bairro que levou o seu nome. 

Cleide de Jesus Sousa, coordenadora da Comunidade São Geraldo, em entrevista ao ET disse que toda a renda da Festa de São Geraldo será revertida na construção da Capela de São Geraldo. “Graças a Deus fizemos o tríduo e o almoço, cuja renda será revertida na construção da Igreja. Nos dois últimos anos, a renda foi para ajudar a construção da Igreja de São Brás e, no próximo ano vamos começar a construção da nossa capela”, prometeu. 

O pároco, Pe. Eduardo Ferreira, que com a  camisa do Cruzeiro, já torcia pelo título bicampeão antecipado, como  sempre, pôs a 'mão na massa'. Apresentando a nova cozinha do salão, destacou a importância da construção da capela para os moradores do bairro.

“- Inauguramos a cozinha com o almoço da festa de São Geraldo e,  como bem diz a Cleide, vamos reiniciar as obras da igreja do bairro. A estrutura já está pronta há alguns anos e agora vamos erguer as paredes. É uma igreja que faz muita falta por conta da grande quantidade de devotos de São Geraldo, é uma festa com muita participação. Há uma devoção muito grande a São Geraldo aqui em Sacramento, sobretudo as mulheres gestantes, bebês, famílias e não temos estrutura para receber os fiéis”, justifica, confirmando que “foi uma festa de muita fé e devoção”. 


São Geraldo, o santo das mães

São Geraldo foi um homem simples, de família humilde, um trabalhador de serviços gerais na casa do bispo de Lacedônia, que aos 23 anos, depois de ter sido rejeitado no convento dos Capuchinhos, pela sua fragilidade, ingressou na Congregação Redentorista, mas não para ser padre, mas um servo, um irmão. E Geraldo se tornou  um excelente trabalhador como  jardineiro, sacristão, alfaiate, porteiro, cozinheiro, carpinteiro,  encarregado das obras da nova casa de Caposele, onde morreu, e escultor de  crucifixos. 

Geraldo sofreu uma grande provação, que lhe rendeu o  merecido título de protetor das gestantes e seus filhos. Injustamente,  foi acusado de ter engravidado uma moça, foi chamado por padre Afonso Maria de Ligório (Santo Afonso) para se defender da acusação e ele nada falou. Diante deste silêncio, Afonso impôs-lhe severa penitência: foi lhe negado o privilégio de receber a Comunhão e proibido de ter contato com os de fora.

Meses depois, Néria Caggiano, gravemente enferma,  escreveu uma carta a padre Afonso Maria  confessando que as acusações contra Geraldo não passavam de invenção e calúnia. Ele passou a rezar pelas mulheres gestantes e em trabalho de parto. E ficou conhecido como o “Santo das Mães”. Jovem de saúde frágil,  Geraldo morreu no dia 16/10/1755, aos 29 anos e foi canonizado santo no dia 11 de dezembro de 1904, pelo  Papa Pio X.

 

Sobre a vida de São Geraldo, padre Eduardo destaca que “isso mostra que não é necessário ser religioso ou religiosa para ser santo, basta ser santo nas atitudes, no dia a dia. A Igreja é muito sábia e nos dá santos assim para servirem de exemplo para todos nós”, finaliza.