Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1777 - 07 de Maio de 2021

Desemboque festeja Nossa Senhora do Desterro

Edição n° 1320 - 27 Julho 2012

A comunidade do Desemboque viveu um mês de festa em louvor á padroeira Nossa Senhora do Desterro, que teve início no dia 23 de junho e terminou no último  sábado, 21.  O início da festa em 23 de junho foi marcado pela alvorada com repique de sinos e queima de fogos e todos os dias reza do terço às 18h na igreja da padroeira. 

No último dia 21, dia da festa, a movimentação foi total com cavalgada, bênção dos cavaleiros e carros de bois na porta da Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Às 18h, missa sertaneja, abrilhantada pelo Coral da Paróquia de Sebastião de Tapira, seguida de procissão  luminosa. Tudo coordenado pelo pároco, Pe. Andre Camargos, os festeiros Jamil de Souza Lima e Ritamar Vieira Lima e uma grande  equipe de auxiliares para bem receber o povo de Deus da comunidade local e vizinhas (Pinheiros, Palmeiras, Bananal, Quenta Sol,  Santa Bárbara, Sete Voltas, Moreira, Caxambu, Tapira, Tamanduá,  e outras), além de visitantes vindos de varias cidades da região. 

Padre André, 33, que deixa a paróquia no mês de setembro, há três anos, com emoção,  fala da última festa que conduziu na comunidade. “Essa foi a última festa que fizemos no Desemboque, uma festa maravilhosa, muito participativa, muito ordeira”, afirma e recorda: “A festa no Desemboque trazia um certo medo para a população por causa da violência e uma certa rivalidade. Hoje, é uma festa da família, da amizade, da confraternização. Resgatamos não só a  devoção popular  a  Nossa Senhora, mas também a participação do povo de Deus. Vemos que a cada no vem crescendo a participação de fieis. Na festa, primeiro, tivemos a programação religiosa, a cavalgada, carros de bois, que este ano foram 16. E vimos pessoas de longe, de perto, pessoas que vão a pé, de carro, a cavalo. O mais rico hoje, acho que por graça de Deus, a minha preocupação de padre novo,  foi resgatar a Igreja  Povo de Deus, e rezar juntos. A igreja repleta de fieis, não em número, mas a participação do povo de Deus”, explica. 

Para padre André, tudo isso é fruto do respeito à comunidade, às pessoas. “No dia da festa é o apogeu, cavaleiros, carros de bois, carros passando na porta da Igreja e nós abençoando a cada um. O respeito das pessoas é muito grande, tiram os chapéus, se curvam, então eu vejo que somos responsáveis por atrair  ou dispersar o povo de Deus e isso a gente consegue com gestos simples: um cumprimento, um aceno, um olá, ouvindo e sobretudo evangelizando, mas sempre  respeitando a sua religiosidade”. 

Feliz com a unidade do povo, padre André fala da parte social. “Foram dez dias de quermesse, o rodeio, o torneio de futebol, o forró, que acabam sendo momentos de confraternização entre a comunidade e visitantes. Antigamente, havia brigas, atitudes violentas que afastavam as pessoas, mas o bom viver foi resgatado; são amigos, familiares, participando. Hoje vale a pena ir a uma festa na zona rural”. 

Padre André ainda celebra mais uma vez na comunidade no mês de agosto. “Fico triste por deixar o trabalho aqui, mas me alegro por ver esta recuperação e fico feliz, porque outro povo precisa do meu trabalho como pastor”. 

 

Desemboque ganha rua e praças pavimentadas

 

As obras que estão sendo realizadas pela Prefeitura, no Desemboque, representam a criação de novas perspectivas sócio-econômicas para toda a população da região, principalmente devido ao incremento do turismo regional. As obras estão custando, R$ 700 mil para a revitalização e mais R$ 400 mil para a rede de esgoto. Acima, a Igreja do Rosário.

 

 Ex-prefeito José Alberto doa imagem de São Miguel ao povoado 

 

A novidade da festa este ano ficou por conta da doação de uma imagem importada de São Miguel Arcanjo feita pelo ex-prefeito José Alberto Bernardes Borges. “O ex-prefeito levou um presente para a comunidade do Desemboque, uma imagem de São Miguel. Foi uma acolhida bonita, ele contou um pouco da história e a imagem foi entronizada na Matriz de Nossa Senhora do Desterro”, informou o pároco do Desemboque, Pe. André Camargo, deixando claro que o ato não teve conotação política. 

“- Tomamos este cuidado. Conversamos com ele, que nos disse de sua vontade de doar a imagem para a comunidade e que iria aproveitar a nossa última  festa junto com aquela comunidade. Algumas pessoas chegaram a falar que seria um ato político, mas não  foi. Os festeiros receberam a imagem, conduziram-na na procissão, tudo de forma tranquila, sempre procurei ser muito prudente e seguir a política do Evangelho, a evangelização”. 

José Alberto lembrou no seu discurso os 40 anos da retomada das imagens históricas do povoado: a padroeira, Na. Sra. do Desterro, Na. Sra. do Rosário, Imaculada Conceição e S. Francisco de Assis, roubadas de seus respectivos altares, em 1970, e recuperadas em 1972, quando José Alberto foi prefeito de Sacramento. 

No retorno das imagens, o povoado viveu um grande dia, quando foram reunidos mais de 500 cavaleiros para uma procissão de chegada, com os andores das imagens, à frente, recuperadas depois de dois anos. Duas delas foram encontradas por detetives contratados, em São Paulo, uma na Bahia e outra em um relicário de Belo Horizonte. 

Na chegada, figuras históricas do povoado receberam as imagens das mãos do então prefeito José Alberto, em novo do povo: Benvindo Coelho, Domingos Hermógenes e Da. Nega, além do ex-prefeito Clemente Vieira de Araújo, e, dirigindo as celebrações religiosas, o então vigário da cidade, Pe. Gil Barreto Ribeiro.

O ex-prefeito lembrou ainda que, aquela data estaria celebrando também os 20 anos de restauração das Igrejas, Matriz de Na. Sra. do Desterro e a Igreja de Na. Sra. do Rosário, dedicada à raça negra e aos escravos que habitaram o povoado naqueles idos dos séculos XVIII e XIX; a instalação da rede d'água no povoado e, também, a instalação de um telefone público para servir a comunidade.