Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Polícia identifica mais quatro suspeitos de participação no assalto ao BB de Uberaba

Edição nº 1682 - 05 de Julho de 2019

Três mulheres e um homem foram identificados pela Polícia Militar como suspeitos de participação no assalto ao Banco do Brasil, ocorrido no último dia 27, em Uberaba, quando uma equipe da PM foi até um apartamento localizado no bairro Fabrício, para apurar uma denúncia, às 21h55 dessa segunda-feira 1º.

O militares se depararam com o local sem móveis, apenas colchões no chão e algumas peças de roupa, uma criança de 3 anos e mais três mulheres no imóvel. À PM, elas disseram ser do Mato Grosso do Sul, e que estavam  em Uberaba há dois meses tendo  sublocado o apartamento do suspeito, que era investigado em São Paulo. Questionadas, não souberam explicar o motivo que o apartamento foi disponibilizado para elas.

Em consulta ao banco de dados, foi constatado que uma das suspeitas, de 47 anos, já foi presa pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro. 

A Polícia investiga indivíduos ligados a crimes de potencial elevado para ações semelhantes à ocorrida na cidade e, durante o trabalho, identificou um homem conhecido nos meios policiais por manter ligações com criminosos de alta periculosidade e envolvido na prática de outros crimes. O suspeito foi abordado e, durante buscas no imóvel, foi localizado um contrato de locação de um apartamento em Uberaba no nome dele. 

Explosivos foram detonados com caminhonete 
A caminhonete utilizada pelos criminosos no roubo ao Banco do Brasil e na tentativa ao Banco Itaú acabou abandonada com outros 11 veículos em estrada vicinal nas imediações da comunidade rural de São Basílio. O veículo foi deixado no local pelos criminosos, carregado com uma grande  quantidade de explosivos, que poderiam estar conectados a um aparelho celular. 
Acredita-se que o veículo com explosivos poderia ser a segunda opção para os criminosos explodirem os cofres das agências bancárias. 
Como o veículo oferecia riscos, a decisão foi detonar os explosivos com ele. Técnicos do Esquadrão Antibombas do Bope cavaram cova de aproximadamente quatro metros de profundidade para a detonação. 
O trânsito nas imediações do fato, próximo a São Basílio, ficou impedido e muitas viaturas das polícias e do Corpo de Bombeiros estiveram no local, o que gerou preocupação a moradores e motoristas, mas não passava de uma ação de preservação do local.
 Os dez homens presos após o assalto ao Banco do Brasil, no último dia 27,  não permaneceram nem 48h na cidade. Após serem ouvidos durante todo dia pelos delegados responsáveis pelo inquérito, os acusados foram imediatamente transferidos de Uberaba para outro presídio do Estado. 
A imprensa uberabense confirmou a transferência, informando que, por questões de segurança, não seriam divulgadas informações da transferência e tampouco o local para onde foram encaminhados os presos.
Os dez elementos presos foram autuados por diversos crimes como organização criminosa, posse de arma de fogo de grosso calibre, explosão em instituição financeira, sequestro e latrocínio.
As investigações sobre o caso estão sendo executadas em parceria com a Polícia Civil de Uberaba com a Delegacia de Roubo a Bancos, em Belo Horizonte. Mas a identificação de outros elementos do grupo, como também, se duas ocorrências de apreensão de grande quantidade de dinheiro teriam relação com o roubo em Uberaba, somente serão divulgadas após a conclusão das investigações.