Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

A morte de Maikon: Família espera justiça há um ano

Edição nº 1401 - 14 Fevereiro 2014

Neste domingo, 16, completa um ano da morte do jovem Mayko Santana Faria (foto), vítima de um crime brutal quando foi alvejado com um tiro na cabeça, no dia 15 de fevereiro de 2013, por volta das 21h, na rua Argila, no bairro Alto da Santa Cruz. Transferido para o Hospital de Clínicas, de Uberaba, morreu na madrugada do dia 16, aos 18 anos de idade.

Um ano depois, a morte de Mayko ainda não foi esclarecida, o que para a família aumenta ainda mais a angústia pela incerteza.  Consternados, os pais,  Ifigênia  Santana Faria e Cacildo de Assis Faria, a irmã Ana Márcia e seu marido, Etelvino Ferreira Neto Rodrigues (Téo), demais  familiares e amigos  procuram uma resposta para a violenta morte de Mayko e esperam justiça. “Eu não sei por que até hoje não encerraram o inquérito. O promotor disse que não chegou nada ainda para ele”, destaca a mãe, afirmando que seu filho foi morto no lugar de outra pessoa.

Diante do questionamento de Ifigênia Faria, o ET procurou o delegado Rafael Jorge, para saber sobre a tramitação do inquérito. Afirmou o delegado que o caso está sendo investigado. “É uma das nossas prioridades, mas infelizmente temos uma equipe pequena e, um caso mais complexo demanda muitas diligências. Mas estamos trabalhando, colhendo elementos para podermos apontar um suspeito. Precisamos de provas concretas contra alguém. Não podemos ser levianos e apontar alguém sem provas concretas. E, infelizmente, é um crime que não tem testemunha”, justificou.