Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Prefeito Bruno critica obra de Baguá apontando 14 irregularidades

Edição nº 1429 - 29 Agosto 2014

O prefeito Bruno Scalon Cordeiro rebateu com o editor do ET matéria veiculada na capa da edição de 15 de agosto, sobre a continuação das obras da Creche Aparecida Loiola, quando informou o seguinte: “O prefeito Bruno disse que 'outros entraves de ordem administrativa serão solucionados pelo Ministério Público e órgãos responsáveis', sugerindo que o ex-prefeito Wesley Baguá fez coisa errada”. 

Enfático, em conversa pessoal com o editor, o prefeito disse que “não sugeriu”, mas afirmou que o prefeito Wesley Baguá cometeu uma série de irregularidades na obra da Creche, inclusive assentando dez vitraux de ponta cabeça. A acusação do prefeito Bruno foi baseada em relatório do Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação referente à construção daquela creche. 

O relatório chegou à redação do ET através de dois assessores de imprensa do prefeito, Pituca Ferreira e Silas Bonetti, comprovando que já foram executados 61,31% da obra e apontando também as restrições e inconformidades encontradas na obra até então executada pela Construtora  Garimpo. Ao todo foram detectadas 14 inconformidades apontadas por DERVISH  Engenharia & Consultoria Ltda, assinado por Daniela Malcher Figueredo. 

Confira as inconformidades apontadas:

1 - Impermeabilização não executada ou executada em desconformidade com a especificação. Existem pontos com infiltração  nas lajes; 

2 - Esquadrias executadas em desconformidade com o projeto, em dimensão maior que o estabelecido e modelo divergente ao projeto; 

3 - Pilares executados em desconformidade com o projeto. Pilar P1 foi executado em altura superior ao especificado. P9 não foi executado. Tipo de risco: -  Solicitar cálculos estruturais que comprovem a solidez do empreendimento; 

4 - Pilares executados em desconformidade com o projeto. Pilar P87 e P101 foram executados em largura e dimensão inferior  à especificação. Tipo de risco: - Solicitar cálculos estruturais que comprovem a solidez do empreendimento;

5 - Serviços complementares executados em desconformidade com o projeto. Não foi instalada bancada abaixo da EF 28; 

6 - Vedações e/ou divisórias executadas em desconformidade com a especificação. Alvenarias ao lado dos bancos da recepção não foram executadas  até a laje. Foi executado vão não previsto  em projeto ao lado da sala da EF14 da sala de informática. Foi executada alvenaria fechando a área  de repouso em uma das creches II; 

7 - Castelo d´água executado em desconformidade com o projeto. O castelo d´água foi executado com manilhas e sem aberturas especificadas em projeto. A estrutura interna foi alterada; 

8 - Revestimentos executados em desconformidade com o projeto. Molduras das esquadrias do bloco administrativo não foram executadas;

9 - Vedações  e/ou divisórias executadas em desconformidade com a especificação. Vãos de ar condicionado não foram executados na sala de diretoria e reunião;

10 - Esquadrias executadas em desconformidade com o projeto. EF 26 e EF 27 foram executadas de cabeça para baixo. EF13 das despensas da cozinha, vestiários masculino e feminino. EF 1, EF 11 da cozinha e lactário foram instaladas abaixo do nível de projeto (especificado alinhada com a laje). Há marco de madeira não especificado no vão de passagem da creche II e creche I;  

11 - Lajes executadas em desconformidade com o projeto. Lajes não foram executadas em EPS. Laje L48 não foi executada nas dimensões especificadas (alongada para engastar na VC90 do pórtico);

12 - Alvenaria executada em desconformidade com a especificação. Não foi executado  ressalto de verga continua nos blocos pedagógicos em fachadas laterais.

13 - Instalações elétricas executadas em desconformidade com o projeto. Foram instalados eletrodutos para espera de quadro no corredor de acesso aos sanitários do bloco  multiuso. Local não é previsto para quadros. 

14 - Sistema de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) executado em desconformidade com o projeto. SPDA do pátio e da passarela não foi executado.

O ET enviou cópia do relatório ao ex-prefeito Wesley De Santi de Melo, através do advogado Lincoln Caires Borges, para falar a respeito. Mas até o fechamento da edição, não havia recebido resposta. 

O prefeito Bruno criticou também na mesma reportagem a informação prestada pelo ET, quando afirma que “os recursos para a sua conclusão foram viabilizados pelo deputado federal Reginaldo Lopes”. Corrige o prefeito, afirmando que o deputado petista não viabilizou verba para continuidade da obra, mas ajudou a desatar, juntamente com seu empenho, do vice-prefeito e secretário Marra, os “nós burocráticos” que haviam paralisado a obra. 

O jornal ET informou, corretamente, na matéria que os recursos para a construção da Creche Aparecida Loiola foram, na verdade, viabilizados, pelo deputado Aracely de Paulo, errando, quando disse que o dinheiro para sua conclusão teria sido viabilizado pelo deputado Lopes. Na verdade, ainda não houve recurso viabilizado para essa fase final, mas o ex-prefeito Wesley deixou em caixa cerca de R$ 302.290,22 para serem aplicados na obra e na compra de mobiliário. Segundo o prefeito esses recursos são insuficientes, havendo necessidade de mais aporte por parte do governo federal.   

 

E, no domingo, condecora o ex-prefeito com a maior honraria do poder Executivo

Apesar das críticas levantadas contra Wesley De Santi, o prefeito Bruno, no último domingo, entregou-lhe em solenidade realizada em praça pública, a Comenda da Ordem de Na. Sra. do Patrocínio do Santíssimo Sacramento, a mais importante medalha do poder Executivo, pelos relevantes trabalhos realizados como ex-prefeito de Sacramento, juntamente com outros dois ex-prefeitos, José Alberto Bernardes Borges e Nobuhiro Karashima. 

 

Vai entender!!  É como dizem os alemães: ‘‘Política é como salsicha, melhor não saber como se faz’’.