Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1748 - 09 de Outubro de 2020

PF vai indiciar fazendeiros por queimadas no Pantanal

Edição nº 1746 - 25 de Setembro de 2020

Pelo menos quatro fazendeiros vão ser indiciados pelo fogo no bioma Pantanal, do Mato Grosso do Sul, na região da Serra do Amolar. A notícia foi veiculada hoje na internet informando que a Polícia Federal (PF) tem informações suficientes para indiciar os fazendeiros, conforme depoimentos de trabalhadores das fazendas e de moradores. Para os peritos, os focos de incêndio tiveram início no dia 30 de junho, quase no mesmo horário, em quatro propriedades localizadas na região oeste do rio Paraguai. 

Desde o início do ano, foram registrados 3.415 focos de incêndio em todo o bioma do Pantanal, que abrange os estados de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso. É o maior número desde 1998, quando o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) passou a monitorar as queimadas. No último dia 14, o governo do Mato Grosso do Sul decretou situação de emergência, reconhecida pelo governo federal na mesma data.

Entre janeiro e agosto deste ano foram aplicados R$ 3,77 milhões em multas por incêndios que resultaram em danos ambientais no MS, de acordo com o Instituto de Meio Ambiente do estado (Imasul). O valor é 43% superior aos R$ 2,34 milhões em multas lavradas durante todo o ano passado.

As críticas à gestão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles,  aumentaram a partir do segundo trimestre deste ano, após a divulgação de conteúdo de um vídeo da reunião ministerial que aconteceu no dia 22 de abril, quando Salles sugeriu que o governo deveria aproveitar a atenção da imprensa voltada à pandemia de Covid-19 para aprovar "reformas infralegais de desregulamentação e simplificação" na área do meio ambiente e "ir passando a boiada".