Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº1733 - 26 de Junho de 2020

Justiça suspende lote de sabão em pó que diz que elimina 'o vírus'

Edição nº 1731 - 12 de Junho de 2020

Briga: Unilever x Tixan

 

A 2ª Vara Empresarial e de Conflitos Relacionados à Arbitragem do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou a suspensão da comercialização e recolhimento do lote do sabão em pó, Tixan Ypê, fabricado pela Química Amparo Ltda, de Amparo (SP). Diz a juíza Renata Mota Maciel na sentença que “não há eficácia comprovada contra o novo coronavírus e a propaganda, veiculada em pleno auge da pandemia, representa perigo aos consumidores”.

Em propaganda explícita na embalagem do produto, a empresa afirma que o sabão elimina “Vírus', o que não deixa de associar o termo ao novo coronavírus. Do lado esquerdo da caixa, uma legenda, rodeada com três ilustrações do corona, afirma: “O lava roupas destrói a camada gordurosa eliminando o Vírus”. Coisa da criatividade e estratégia publicitária brasileira.

Além da suspensão e da retirada do produto das gôndolas de supermercados e demais casas onde o 'milagroso sabão' é vendido, a empresa está proibida de realizar novas campanhas publicitárias que façam alusão ao tema, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil para cada tipo de descumprimento.

A ação foi proposta pela concorrente, a multinacional britânica, Unilever Brasil (Lembram-se dos sabonetes, Gessy/Lever?) fabricante do também não menos milagroso, Omo. Aquele “MAIS PODEROSO: 1,6 kg = 2 kg - Rende muito”. Alegou a multinacional que sofre concorrência desleal causada pela publicidade que alardeia que o produto rival auxilia na eliminação do vírus. 

A fabricante acatou a determinação, mas diz que vai recorrer. 

Fosse o contrário!!