Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1742 - 28 de agosto de 2020

Zé Hélio recebe homenagem de truqueiros

Edição nº 1472 - 03 de Julho 2015

José Hélio Borges completou 66 anos nessa quarta-feira 1º e, além do carinho e abraço dos familiares, ganhou um presente diferente e inesquecível dos amigos: um torneio de truco em homenagem a  um dos maiores e mais antigos truqueiros da cidade. E o aniversariante, como era de se esperar, sagrou-se campeão fazendo dupla com Jair.  

Merecida homenagem, como revela Parado (Hélio Paim),  responsável pela organização do torneio, que reuniu 36 duplas de Sacramento e Conquista. “A ideia nasceu com o filho do Zé Hélio, o Robervânio, outro truqueiro que aprendeu com o pai, ele me pediu pra ajudar a organizar o torneio, que começou no domingo, dia 28. Por sua vez, Robervânio diz que a ideia nasceu no meio de um jantar em Conquista, onde se reuniram para um 'truquinho'. 

“- Logo a coisa foi organizada, ganhei o patrocínio para os  troféus, ninguém negou.  E, de repente, apareceram 36 duplas. Só tenho que agradecer pela felicidade do meu pai. Papai, acho que já nasceu jogando truco, porque ele é bom no jogo e gosta, é a diversão dele com a  família,  com os amigos e muito mais, é um grande pai, muito amoroso, um exemplo de ser humano”, elogia o filho.

A final aconteceu na terça-feira, dia 30, com a participação de quatro duplas, duas no principal e duas na repescagem. E além dos troféus para os campeões e vices, um troféu especial para o aniversariante, com os dizeres: “Em nome dos amigos truqueiros, parabéns  pelo seu aniversário,  Zé Hélio”. 

 

 José Hélio “Homenagem, reconhecimento têm que ser feitos em vida, por isso estou tão feliz”

Para o aniversariante, José Hélio, a festa não poderia ter sido melhor. Muito feliz com a homenagem reconheceu ao ET uma verdade: ‘‘Homenagem tem que ser em vida’’; e conta:

“- São 58 anos de truco. Eu tinha oito anos, montava na garupa com meu pai (José Borges Pires) e ia jogar truco com os vizinhos. E vizinhança na roça, há 50 anos, era longe, andávamos léguas pra jogar truco. A gente morava nas Palmeiras,  quando estava escurecendo, papai arriava um cavalinho e dizia: 'Vamos jogar truco no Oscar Garcia?' Eu pulava na garupa e lá agarrávamos  no truco, 11h da noite voltávamos pra casa pra trabalhar no outro dia” conta. 

 

Falando sobre a inusitada festa, Zé Hélio manifestou sua alegria. “Estou muito honrado, feliz e agradeço a Deus, aliás, toda hora é pouco para agradecer o que Ele me concede.  E hoje recebo esta homenagem. Na cidade tem muita rua com nome de pessoas. 'Fulano morreu, era tão bom, vamos pôr seu nome numa rua...'.  Homenagem, reconhecimento têm que ser feitos em vida, por isso estou tão feliz, muito orgulhoso. Depois que eu morrer, fazer torneio, troféu  com meu nome? Não, têm que reconhecer em vida, por isso agradeço aos meus amigos de Sacramento e Conquista, minha família e todo mundo que está me abraçando pelo meu aniversário, enfim, agradece a todo mundo que tenho a felicidade de conhecer. Essa homenagem pra mim é o maior presente, porque pude vivê-la”. 

 

Intercâmbio Sacramento-Conquista

Dentre os participantes da cidade de Conquista, o vereador Reginaldo Rodrigues de Souza, (Naldão), compareceu à festa trazedndo os companheiros para a confraternização. “Conhecemos o Zé Hélio no truco, em Conquista, há muito tempo. Esse divertimento lá estava bem desanimado e aí o Parado e o Zé Hélio começaram a pegar as duplas daqui e levar pra lá e o truco ganhou força  e, a partir daí começou um intercambio, uma integração muito grande, de esporte e de amizade. As duplas de Conquista vêm pra ganhar aqui, mas não ganham nunca (risos) e as de Sacramento vão lá e trazem os troféus, já são quatro de primeiro lugar. Zé Helio já foi campeão lá, seu filho Robervânio, o Parado”, diz entre risos ao lado do Parado.

 Para o simpático vereado de Conquista participar de um torneio em Sacramento é a maior satisfação. “É o maior prazer a gente estar aqui, ainda mais numa homenagem ao Zé Hélio que a gente conheceu  há pouco tempo e já apanhamos uma amizade muito grande. Zé Hélio dispensa comentários, exemplo de vida e,  no truco, é professor. Some-se ainda o Parado, que se tornou um grande amigo nosso em Conquista, tanto que hoje não sabemos se nós é que somos sacramentanos ou se ele que é conquistense. Sacramento e Conquista são duas cidades irmãs também no truco”, reconhece.

 Aliás, o truco é herança de família para Naldão, desde o avô paterno, o pai Nenzinho, grande prefeito de Conquista, de saudosa memória, além dos tios. “A convivência com o truco vem desde criança e até hoje, o encontro anual da família no sábado e domingo é no aniversário do tio Tonico. E todos sabem que o ponto alto é o truco, a gente já  vem preparado para jogar baralho e é uma beleza, muita torcida, muito grito, gargalhadas...”.

 

Naldão tem ainda a herança política.  Ele está no quinto mandato como vereador e tem uma particularidade em relação a Sacramento, que é o parentesco muito próximo com políticos da terra. “Em Sacramento, e acredito que em muitas outras cidades,  não tem nenhum cidadão que teve dois tios, um irmão da mãe e outro irmão do pai, que foram prefeitos”, revela, explicando: “Meu tio, o médico Zé  Zago, irmão da minha mãe e tio Luiz Rodrigues, irmão do meu pai, foram prefeitos de Sacramento, uma razão a mais para gostar de Sacramento”. 

 

Os campeões do torneio

A dupla formada pelo aniversariante, Zé Helio e seu parceiro Jair sagrou-se campeã do torneio principal. Geovane e Luizim foram os vice-campeões e, em terceiro lugar, a dupla Carlos Henrique e Marcos Gobbo. Na repescagem, o título ficou com Renato e Renatim (Conquista) e os vice-campeões foram Arnaldo Santana e Anderson (Pelego).