Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Areião e XIII de Maio na final do Amadorão

Edição nº 1420 - 27 Junho 2014

Nos dois próximos domingos, um duelo de gigantes do futebol local, de um lado o Areião, do outro, o XIII de Maio e dois Andersons, no comando das equipes. Pelo XIII de Maio, Andereson (Som), pelo Areião, Anderson (Veio). 

Depois da vitória contra o Panela FC, por 5x0, no jogo de ida da semifinal, no dia 15, e uma derrota por 3 x 2, no último domingo, Som levou o time a final pelo saldo de gols. “Vamos lutar até o fim para conquistar esse sonhado título”, promete.  

Pelo Areião,  o técnico Veio promete fazer de tudo para soltar o grito de “é campeão”, a exemplo do ano passado. O Areião que jogava pelo empate, entrou em campo no domingo, (22), decidido a manter classificação no jogo contra o CAS, que precisava de dois gols de diferença. A partida terminou no 0x0.  

Agora, verdade seja dita, de parabéns o Clube Atlético Sacramentano que, com o patrocínio da Visaf, do empresário Fabiano Rezende, que representa o clube como diretor esportivo, dividindo o comando técnico do time com Dr. Thalys, mostrou durante  todo Amadorão ser uma equipe aguerrida, combatente, tendo à frente a prata da casa. Assim como o novato Panela, de Nelsinho, que buscou alguns atletas veteranos, craques da cidade e pôde também montar uma bela equipe. 

 

Se for campeão, Areião chega à maioridade de títulos: 21

O Técnico do Areião, Anderson Ramalho (Veio), há sete anos à frente do time do bairro Na. Sra. do Perpétuo Socorro, e que esteve suspenso três jogos (dias 8, 15 e 22) voltará em campo neste domingo (29) comandando a equipe para o primeiro jogo da final. E tem grandes expectativas: “Estive suspenso, com justiça,  porque errei ao  entrar em campo para contestar um lance,  mas nos bastidores estava comandando a equipe. Entramos no Campeonato para ganhar e agora é ir em frente com muita vontade, com garra. Vamos entrar com determinação, porque se formos campeões conquistaremos nosso 21º título de campeão”, afirma otimista e lembra que o Areião ficou 19 anos sem ganhar um título. 

 

E Francisco Manuel Lopes, o Meleta, atleta mais longevo do campeonato, com 60 anos, completa, afirmando que o Areião Esporte Clube foi fundado em 1966. “O fazendeiro Juvêncio Bizinoto cedeu um espaço na chácara, nas margens do córrego do Jacá e lá  eu joguei muitos anos. Fui campeão com a equipe 18 vezes. Uma época o pessoal desanimou, ficamos alguns anos sem participar,  o time praticamente acabou por um tempo, mas foi reativado com força total e agora estou aí com a turma, correndo atrás desse 21º título”. 


XIII de Maio sonha com o título desde 2002

O  XIII de Maio o time do antigo Terreirão, assim como o Areião, está com uma mão na taça e se conquistar o título de campeão será a realização de  um sonho sonhado desde 2002. O verdão tem sete títulos de municipais, o último conquistado em 2001. O técnico Anderson de Oliveira (Som) (foto) garante que o time vão entrar com garra para comemorar o oitavo título. “Esse era o nosso objetivo, por isso trabalhamos em cima do campeonato com uma boa atuação, uma ótima campanha desde o começo. O que pudemos fazer, fizemos e conseguimos chegar à final   e vamos continuar o trabalho nessas duas partidas, porque nossa ideia não é só chegar à final, mas chegar e ser campeão”. 

 

Por telefone, Som informou na terça-feira, que o jogo de ida da final será realizado no Estádio Juvêncio Bizinoto, o campo do adversário, mas o jogo de volta deverá ser no Estádio Dr. João Cordeiro. “Temos o mando de campo e está sendo negociado com a diretoria do CAS, para a realização do último jogo naquele estádio, por se tratar de um jogo concorrido e o local pode oferecer uma acomodação para o público e  segurança  para os atletas. Se não houver negociação, o jogo será no nosso campo”, adiantou. 

 

Atlético e Panela não disputam o 3º lugar

Este ano não haverá a disputa do terceiro lugar, conforme informações de Fabiano Rezende Rodrigues, diretor esportivo do Clube Atlético Sacramentano (CAS) e técnico da equipe, que falou da determinação da equipe, mas não conseguiu a esperada classificação. “Futebol é assim, alguém tem que perder pra outro ganhar. Tentamos reverter o resultado, mas não foi possível, Areião fez a melhor campanha no primeiro jogo e segurou a classificação”, afirma, apontando ainda  o desfalque na equipe devido à participação dos  atletas que estavam no JIMI. 

 

Para Nelsinho, o Panela fez uma boa campanha.“O Panela Futebol Clube é formado por um grupo de amigos, que antes formavam a equipe abebeniana, como a AABB não participou do Amadorão, eles se uniram e  formaram o Panela, nome que tem o sentido de grupo, de amigos unidos. E fizemos uma boa campanha. Nessa semifinal, numa situação muito difícil, mas encaramos, até porque cada jogo é uma história. É nossa função como técnico, motivar cada vez mais os atletas e, sobretudo, fazendo-os cumprir o compromisso com dignidades, sem W.O., que estraga   a festa e há também o dever, o compromisso com os patrocinadores. Fizemos o dever de casa e agora é esperar o próximo Amadorão”, analisou.

 

Secretário apoia subvenção para os times de futebol

Para o secretário de Esportes do município, Fabrício Stival Ribeiro, o Amadorão caminha para o final com um saldo positivo. “Graças a Deus, tudo vem correndo conforme o previsto, problemas há, mas futebol se não tiver algum probleminha, não é futebol. Isso ocorre em qualquer esfera do futebol, inclusive no Brasileirão, na  Copa e aqui também, mas esperamos que terminemos bem”, ressalta, elogiando o nível das equipes. “Muito bom o nível do futebol, principalmente pelo fato de as equipes poderem trazer 'boleiros', atletas de alto nível de fora, o que faz com que cada jogador mostre mais e mais o seu futebol”. 

 

Na fase classificatória do Amadorão, em entrevista, os técnicos cobraram uma subvenção anual para os times, a exemplo do que ocorre com o Carnaval e o secretário Fabrício, desportista e um dos fundadores do  TJ-P, apoia a reivindicação e vai trabalhar para isso. “Eles têm razão, porque a gente como desportista vê essa necessidade. A Prefeitura dá toda a estrutura na arbitragem, premiações, bolas, redes só que os clubes, principalmente os que já têm tradição, realmente precisam de uma ajuda para continuar mantendo os seus estádios, suas equipes. Esse pedido já me foi feito e vou dar andamento   até onde posso chegar para ajudar as equipes. É um pedido muito válido e que deve ser analisado com carinho”, ponderou. 

 

Sacramento poderá ter Liga Desportiva ou Associação

Quem esteve prestigiando o jogo Areião x CAS, no domingo, foi o técnico do Marianos Esporte Clube, Paulo Cândido Costa (foto), o Paulinho Pintor que, avaliando a campanha da tradicional equipe, justifica a desclassificação. “Foi uma época de transição da diretoria, não tínhamos equipe pronta e o tempo foi pequeno para entrosar o grupo, apesar de termos três atletas de Conquista. Não tínhamos uma equipe do nível dos quatro melhores, éramos  o quinto time, entramos como o quinto favorito e ficamos nessa posição e permanecêssemos nessa mesma posição”.  

A avaliação do campeonato para o pintor Paulinho é positiva. “Melhorou muito em relação ao ano passado, o que foi muito bom. Por outro lado, esse reforço tirou um pouco o poderio dos atletas de equipes mais novas que caíram um pouco, mas esporte é isso. A Organização precisa ser melhorada, sou a favor de premiação em dinheiro para ajudar os clubes, até o quinto lugar, com um prêmio maior para o time campeão. E precisamos de  mais apoio ao longo do ano, principalmente na manutenção dos campos. A grama está seca, os campos não tem condições de aguar, um caminhão pipa por semana já seria suficiente para manter o gramado  e acredito que isso a prefeitura poderia fazer, porque futebol não é só bola e arbitragem, precisa ter um bom campo”, sugere. 

E de acordo com Paulo, um grupo de desportista está trabalhando para criar em Sacramento a Associação Desportiva de Sacramento, o que foi confirmado por Marcos Antonio de Oliveira Santos. “Se dão R$ ..... para a URS administrar os jogos de quadra, por que não para o futebol, muito mais tradicional e muito mais popular? – pergunta Paulo, afirmando que a ideia deve prosperar, cabendo a cada diretor se juntar a essa ideia e mobilizar uma campanha em torno dessa verba para a Associação que deve ser criada ainda este ano”. 

 

Nelsinho, o técnico do Panela, compartilha a ideia e critica a temporada desportiva na cidade. “O futebol sempre foi o esporte das multidões, mas em Sacramento falta mesmo esse apoio por parte do poder público. A ideia da Associação é excelente. Veja que, nas mãos da Secretaria de Esportes, temos apenas uma temporada de três meses de esporte e o restante do ano não acontece nada, o futebol fica parado, a não ser o Ruralão”, destaca.

 

Renda do jogo Areião x Atlético vai para a Creche Rosa da Matta

E, como acontece anualmente o jogo Areião x Atlético  teve também um caráter social, um quilo de alimento ou R$3,00. Os alimentos serão entregues à Casa do Menor Rosa da Matta e o dinheiro será empregado na festa de confraternização anual, com os atletas da escolinha de futebol do bairro. 

“- Essa ideia beneficente nasceu há alguns anos e o pessoal já sabe que, se passarmos para a semifinal ou final,  haverá a arrecadação para uma entidade e não falta gente para apoiar e ajudar”, explica o técnico Veio.

 

 De acordo com Juliana, voluntária que coordenou a portaria, foram arrecadados  49 litros de óleo, 49 pacotes de feijão de 1 e 2 quilos, 25 pacotes de macarrão, 25 pacotes de arroz de 2 e 5 quilos, 3 pacotes de sal, 2 pacotes de fubá, s quilos de farinha de trigo e caixa de leite e 3 quilos de açúcar refinado.