Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Entrevista João Bosco Aparecido - O empresário que impressiona

Edição nº 1685 - 26 de Julho de 2019

A data é 17 de julho mas a festa será neste Sábado 27, a partir da abertura da loja às 8h, com promoções, sorteios de brindes e até o parabéns pra você... O empresário João Bosco Aparecido, de fato, tem motivos de sobra para comemorar.“A gente quase não acredita que são 20 anos vestindo gerações, porque quando a loja abriu algumas funcionárias nossas nem tinham nascido, pois, uma delas tem 16 anos,  outras 18... E os pais já compravam aqui.  Estamos fazendo história! Graças a Deus!”.

O Estado do Triângulo - Como tudo começou? Antes de se decidir pelo campo comercial, você tentou outras atividades empresariais ou foi sempre no ramo de confecções?

João Bosco - Na verdade, a Comercial Estrela é a continuidade de uma vasta experiência no ramo de vestuário  que adquiri ao longo dos anos em São Paulo. Saí de Sacramento com 18 anos, para estudar e trabalhar em Ribeirão Preto. Depois tive uma curta passagem por Belo Horizonte.  Meu ramo sempre esteve ligado ao comércio de roupas.  De BH fui pra São Paulo, onde iniciei em uma loja de atacado e varejo de nome , 'Gabriela', no Itaim Bibi. Posso dizer que estou no ramo de confecções quase que minha vida toda, como funcionário e empresário. 

 

ET - E Sacramento, como entrou na sua vida ou foi você que entrou no cotidiano da vida sacramentana? (Nasceu onde, primeiros estudo onde, sua formação)

J. Bosco – Nasci em Sacramento, estudei no colégio Allan Kardec, Sinhana Borges e Coronel.  Em Ribeirão Preto estudei na UNAERP, onde me formei em Eletrônica, um curso de nível médio com duração de quatro anos.

 

 ET - A opção empresarial por uma loja de roupas, confecções foi seu primeiro desejo ou iniciou noutro ramo comercial?

J. Bosco – Sim, praticamente sim. No início apenas, a Comercial Estrela vendia além de roupas, bolsas e calçados, mas depois nos firmamos somente em confecções. 

 

ET - A Comercial Estrela foi inaugurada no finalzinho do século passado, 1999. Onde foi o primeiro endereço e os sucessivos até se fixar aqui no, diríamos, 'coração pulsante do comércio da cidade'. Primeiro mix de produtos e como veio alcançando essa dimensão de hoje?

J. Bosco - O primeiro endereço foi na esquina da Capitão Borges com a Antônio Carlos, bem em frente à tradicional loja do Ali Charchouh. Ali ficamos dois anos, de onde nos mudamos para o atual endereço, como você diz, aqui no 'coração pulsante da cidade'. E já estamos completando a maioridade. 

 

ET - ET - Primeiro mix de produtos e como veio alcançando essa dimensão de hoje?

J. Bosco – Depois que nos fixamos na linha de vestuário, não variamos mais. O mix foi sempre roupas masculinas e femininas de boas e consagradas marcas, porém sem exclusividade de marcas. Nesses 20 anos,  podemos dizer que algumas nem existem mais, outras porque, ,por alguma razão, deixaram de ser comercializadas. Mas há marcas que estão há 20 anos na loja, a Nicoboco , Osmoze, Levi´s (a primeira marca de blue jeans do mundo), Docthos, Lupo, Di Paula, Baumgarten, My Place (exclusivamente feminina)  e tantas outras marcas de renome...

 

ET - Em algum momento desses 20 anos, você viveu (ou o comércio viveu) alguma crise a ponto de você dizer: 'Sinto muito, não dá mais!'.

J. Bosco – Os primeiros seis anos foram bem difíceis... Diria que até até o ano de 2005 mal dava para pagar as contas. Após esse tempo, com  as mudanças políticas e econômicas ocorridas no  país, melhorou bastante. Porém, a partir de 2015 voltou a ficar difícil. As vendas caíram e estabilizaram em um nível abaixo do desejado, infelizmente.

 

ET - Na sua experiência de lojista, você concorda que é bem mais fácil vender para homem do que para o público feminino? Por quê?

J. Bosco - Sim, as mulheres são muito mais detalhistas, sabem o que querem e vão em busca daquele produto, remexem a loja. E com razão, buscam o mais bonito, o melhor, o que mais assenta, etc... Já os homens são menos exigentes, com raras exceções. Mas o mais importante é vender para ambos os sexos. E por isso a Comercial Estrela trabalha com um grande diferencial, que é a variedade de confecções, para todas  as idades, tamanhos e   momento. Do fitness e do infantil ao plus size temos no estoque. Somos uma loja completa: fitness, esporte, esporte fino e social. O tamanho extra grande, por exemplo, temos calças nº 78, camisa nº 14, ou seja, estamos prontos para atender todos os públicos. E fico feliz com isso. Não gosto quando o cliente chega e não podemos atendê-lo. E, outro grande diferencial é que aos sábados a loja abre das 8h às 17h. 

 

 ET - Uma de suas funcionárias, a Luciana, está aqui quase que desde o princípio. Uma gerente que qualquer lojista gostaria de ter. Quanto vale o passe dela, João Bosco? (risos) 

J. Bosco - Temos hoje oito funcionárias. Cada uma melhor do que a outra. A Luciana, a mais experiente, está conosco há 17 anos como balconista e hoje é gerente. Estou sempre presente também, passeando entre as duas lojas, relativamente próximas, para dar o suporte necessário. É uma equipe talentosa que vive a filosofia da loja: atender com cordialidade e sem distinção os clientes, demonstrando sempre produtos de qualidade e bons preços.  Quanto ao passe da Luciana, não tem preço. Somos uma família. E ninguém vende um filho, uma irmã... Todas são valiosas!

 

Luciana - (participando, agradecida) Sou muito grata por tudo isso. E afirmo, fazendo uma retrospectiva desse tempo em que estou aqui, que a Comercial Estrela é uma loja completa em função dos clientes e somos agradecidos por eles se identificarem com a loja nesses anos todos, por valorizarem e entenderem que a loja também valoriza os produtos para valorizar os clientes. Embora gerente, concilio as funções, não perco a oportunidade de vender. Sou vendedora, gosto de atender as pessoas, ajudá-las a comprar, é gratificante ver o cliente sair satisfeito.  

 

ET - Vinte anos representam o início da segunda geração... Você tem filhos de seus primeiros clientes que assumiram a mesma fidelidade pela loja? Qual a estratégia para segurar um freguês de longa data?

J. Bosco - Sempre procurei fazer o melhor, ter produtos de boa qualidade com preços adequados e principalmente tratar os clientes com sinceridade e credibilidade. Eu acho que essas são as palavras chaves.

 

ET - A Estrelaveste (outra loja de João Bosco no comércio local) é concorrente da Comercial Estrela ou trabalha noutro segmento? 

J. Bosco -  A Estrelaveste é um complemento da Comercial Estrela lá trabalhamos com outras marcas, porém também de qualidade. Os slogans de ambas as lojas mostram a diferença. A Comercial Estrela tem como slogan, 'A ROUPA QUE IMPRESSIONA', já a Estrelaveste, trabalha com o slogan, 'PREÇO BAIXO COM REQUINTE'. Acho que esses dois slogans dizem tudo.

 

 ET - Pra fechar, que poder tem o símbolo da Estrela (que por si já é meio cabalístico) na sua vida?

J. Bosco - Minha ideia inicial era abrir várias lojas, uma rede. A Comercial Estrela, que seria a matriz, e as demais seriam Estrelaveste e já temos uma na avenida Benedito Valadares. Estrela é um nome que veio comigo de São Paulo. Estrela é luz, um nome forte, brilhante, nome de algo vencedor, que está lá nas alturas e brilhando para nós. Então, optamos pelo nome, Comercial Estrela.

 

ET - Parabéns pelos 20 anos!

J. Bosco - Muito obrigado. Mas eu quero terminar, agradecendo, primeiramente, a Deus, por tudo o que Ele me concedeu, especialmente pela perseverança e força no dia a dia. Um agradecimento muito especial a todos os clientes que nos prestigiam; aos diversos parceiros, incluindo vocês do jornal O Estado do Triângulo, que registrou em suas páginas a história da Comercial Estrela; aos amigos que sempre me incentivaram; a minha família e, de um modo especial, a todas as meninas que trabalham e trabalharam na loja nesses 20 anos. Muito obrigado a todos!