Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1783- 18 de junho de 2021

Baixos salários comprometem educação

Edição nº 1419 - 20 Junho 2014

Para a reformulação do Ensino Médio, outra questão que pesa são os baixos  salários e investimentos do país em Educação. Estudos demonstram que seriam necessários mais de 10% do PIB para garantir uma educação com padrões mínimos de qualidade. O país investe atualmente 5,8% (PIB/2013 R$ 4,8 trilhões). Porém, estudos apontam que os líderes mundiais no ranking educacional, não investem 10%. O líder mundial do ranking, Dinamarca, investe 8,7% (PIB/2013, U$ 370 bilhões).  

Conforme pesquisa da Veja Educação publicada em 2012, “Professor brasileiro é um dos mais mal pagos do mundo”, os dados vêm de  levantamentos realizados por agências das Nações Unidas, Banco Mundial e Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).  

“Professores brasileiros em escolas de ensino fundamental têm um dos piores salários de sua categoria em todo o mundo e recebem uma renda abaixo do Produto Interno Bruto (PIB) per capita nacional (10,6 dólares ao ano)”.  De acordo com a pesquisa, o valor é apenas 10% do que ganha um professor de mesmo nível  na Suíça, onde o salário médio é de 104, 6 dólares ao ano, de uma lista de 38 países, da qual apenas o Peru e Indonésia pagam menos”.