Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Brasil cai uma posição no IDH

Edição nº 1706 - 20 de Dezembro de 2019

O Brasil caiu uma posição no ranking global do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) em 2018. Conforme relatório divulgado no último dia 9 pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o IDH nacional ficou em 0,761 e colocou o Brasil na 79ª posição, entre 189 países na lista, atrás de Argentina, Uruguai e Sri Lanka. O IDH brasileiro, no entanto, é considerado alto.  O primeiro colocado no ranking é a Noruega, com IDH de 0,954 (quanto mais próximo de 1 melhor), seguida por Suíça (0,946), Irlanda (0,942) e Alemanha (0,939).

 O país sul-americano com melhor desempenho é o Chile, em 42º lugar (0,847), seguido pela Argentina (0,830) e Uruguai (0,808).  Brasil e Colômbia dividem a quarta posição no IDH. 

 

Mas na concentração de renda, Brasil é o 2º pior

A concentração da renda no Brasil continua sendo uma das mais altas do mundo, quando mais alta pior, conforme o Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado no último dia 9.

Conforme os dados, o Brasil é o segundo lugar em má distribuição de renda entre sua população, atrás 

apenas do Catar, quando analisados os 1% mais ricos do mundo. O que isso quer dizer, o 1% (2 milhões e 70 mil) da população brasileira (hoje, 207 milhões) concentra 28,3% da renda total do país (no Catar a proporção é de 29%). Ou seja, quase um terço da renda está nas mãos de apenas 2 milhões de ricos. Já outros 10% (20 milhões e 700 mil) dos também ricos concentram 41,9% da renda total, ou seja, ambos, concentram 62,2% da renda nacional. 

Conclusão: o restante da população, 47,8% dos brasileiros (185 milhões e 230 mil), dividem a sobra. Essa concentração nas mãos de poucos é que deu o título de vice-campeão ao país em desigualdade.

Em terceiro lugar está o Chile, com 23,7% de concentração da renda total nas mãos da parcela 1% mais rica da população. 

Mas, quando comparado com os países do grupo de países em desenvolvimento dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil assume   primeira posição é o país com maior concentração de renda; A Índia aparece em oitavo lugar no ranking, pois concentra 21,3% da renda total nas mãos dos 1% mais ricos. A Rússia está em 11º lugar, com 20,2%, e a África do Sul deixa 19,2% da sua renda total com os 1% mais ricos.

Enquanto isso, a China é o país dos Brics com menor concentração, nesse sentido, com 13,9%

 

RANKING

        PAÍS

1% mais ricos

1

Catar

29,0% da renda total

2

Brasil

28.3% da renda total

3

Chile

23.7% da renda total

4

Turquia

23.4% da renda total

5

Líbano

23.4% da renda total

6

Emirados Árabes

22.8% da renda total

7

Iraque

22% da renda total

8

Índia

21.3% da renda total

9

Colômbia

20.5% da renda total

10

Estados Unidos

20.2% da renda total

11

Rússia

20.2% da renda total

12

Tailândia

20.2% da renda total

13

Kuwait

19.9% da renda total

14

Arábia Saudita

19.7% da renda total

15

Omã

19.5% da renda total

16

África do Sul

19.2% da renda total

17

Egito

19,1% da renda total

18

Barein

18,0% da renda total

19

Costa do Marfim

17,1% da renda total

20

Irã

16,3% da renda total