Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Cidade sedia 27º Encontro Regional de Folias de Reis

Edição nº 1466 - 22 Maio 2015

Festa para os devotos dos três Reis Santos, no parque de exposições Hugo Rodrigues da Cunha com a realização do 27º Encontro Regional de Folias de Reis, promovido pela Associação de Folias de Reis de Sacramento. De acordo com o presidente da Associação, Antonio Claret Scalon (Polaco), o Encontro teve a participação de 42 folias de Sacramento e outras 11 cidades da região, Igarapava, Uberaba, Ponte Alta, Tapira, Araxá, Perdizes, Nova Ponte, Indianopólis, Delfinópolis, Tupaciguara e Rifaina.

“São 27 anos de encontros realizados na cidade, superando dificuldades e a cada ano mantendo a tradição. Apesar das dificuldades porque passa o município, a Prefeitura cedeu o parque de exposições e manteve a verba aprovada pela Câmara de R$ 17.500,00 e,conseguimos apoio para as camisetas, pagar a rádio e a barraca. Graças a Deus as coisas correram bem”, explica, destacando a mudança no cardápio.

“- Como o preço da carne bovina aumentou muito o preço, optamos pelo frango e fizemos uma deliciosa galinhada como prato principal, considerando, principalmente a grande quantidade de pessoas que está participando do encontro. Além dos integrantes das folias e pessoas que acompanham, há muitas pessoas da cidade que gostam do evento”, justificou, afirmando que a arrecadação por parte das folias este ano foi muito pequena.

“- Este foi um ano atípico. Ganhamos poucos bezerros, que rifamos para levantar dinheiro, mas ganhamos muito óleo, arroz, feijão. Com os três reis é assim: fecha um porta, mas duas, três se abrem”, diz convicto da força dos santos homenageados.

Polaco, que junto com José Nicolau, Jair Ferreira e outros de saudosas memórias, é um dos fundadores da Associação das Folias de comemorou mais um encontro. “Até hoje, coordenei todos os encontros regionais além de cinco municipais”, afirma, ainda se convalescendo de um AVC que o impossibilita agora da apresentação das folias, tarefa assumida pelo comunicador da Rádio Sacramento, Léo Denys.

Lembrando como tudo aconteceu, diz que apanhou o gosto com a saudosa dupla Toninho e Marieta, de Uberaba, quando apresentaram um encontro na antiga TV Manchete. “E resolvi que iria fazer um encontro aqui. Chamei o Jota Ribeiro, da rádio Sacramento, o Sr. Walter Fonseca, o prefeito Dídia (Luiz Magnabosco) nos apoiou e realizamos o primeiro encontro em 1983 e mais quatro encontros municipais, até que fundamos a Associação”. 

Com toda essa dedicação, Polaco se sente um homem espiritualmente realizado.  “Tudo o que peço, os Três Reis me ajudam, acho que é por isso que estou aqui. Depois que acaba o encontro eu até choro de emoção. É uma coisa importante para mim”, disse antes da missa de abertura presidida pelo vigário paroquial, Pe. Gil Araújo.

Perguntado que pedido especial faria naquela celebração eucarística, Polaco respondeu: “Peço que o país seja mais honesto para com seu povo. Por exemplo, com os aposentados que, a cada ano, ficam mais prejudicados pela defasagem de seus proventos, pelos pobres que a cada ano passam por mais privações. Enfim, por todos os foliões presentes e por todos os que colaboram para a realização do encontro”. 

O almoço foi servido a partir das 11 horas, segundo a comissão organizadora, para cerca de seis mil pessoas. 

 

Missa sertaneja marca abertura do encontro 

Mantendo a tradição, o 27º Encontro Regional de Folias de Reis foi aberto com a missa sertaneja às 8h da manhã, celebrada por Padre Gil Araújo, (foto) que fala da ligação da festa com a Igreja Católica. 

“- É importante cultivarmos essas iniciativas, porque a Folia de Reis é uma manifestação popular da fé simples do povo, mas da fé orante, que acompanha o nosso povo no dia a dia. Então reviver, rememorar as folias de Reis é trazer para a nossa vida aquilo que o nosso povo traz consigo, por isso a importância  de mantermos vivas essas tradições”, afirma e destaca ainda:  “É muito importante estarmos unidos enquanto Família de Deus. A Eucaristia nos lembra que somos família de Deus e o grande pedido que temos que fazer é por nós, nossas famílias, pela não violência, enfim, pela prática do bem”.

 

E na sua mensagem final aos foliões que foram louvar os santos,  Pe. Gil ressaltou: “É realmente voltar à Gruta de Belém onde Jesus nasceu. Os magos ofereceram seus presentes. Nós não temos nem ouro, nem incenso, nem mirra, mas temos  o nosso coração, nossa vida, nossa alegria que devem ser uma marca referencial no nosso dia a dia. Então, que os foliões tenham um dia de muito proveito, de muita alegria e que possam ser comunidade de fé, durante este encontro”. 

 

“É um encontro de fé e cultura...

O secretário de Governo, Saúde e Cultura, Adriano Magnabosco, ouvido pelo ET, destacou a importância da cultura para a cidade. “É uma festa que faz parte do nosso calendário e que a população aderiu e abraça e é gratificante ver quantas pessoas têm Santos Reis como patrono. Honra-me estar aqui porque meu pai era folião, então carregamos na família essa tradição e o encontro é uma festa de família”. 

O vereador Pedro Teodoro Rodrigues de Resende cumprimentou os organizadores e foliões pela festa regional. “Só temos que cumprimentar e agradecer esse grupo todo que anualmente promovem esse que é um encontro regional, encontro de fé, encontro de cultura na nossa cidade. Na pessoa do Polaco, o nosso cumprimento e agradecimento a todos”. 

Destaque para a Cia Santos Reis de Nova Ponte que prestou homenagem a dois ex-capitães de folias de reis, já idosos, moram no Lar S. Vicente de Paulo. 

Para os voluntários do serviço de cozinha, coordenados pelos irmãos, José Eurípedes da Silva e Luizmar Fernando da Silva, que há anos trabalham como voluntários no Encontro, foi mais uma grande festa onde foram consumidos: 500 quilos de arroz,  600 kg de frango, mais de 120 quilos de feijão, 200 kg de milho verde, cinco caixas (100kg) de tomates para o vinagrete, 100 caixas de cenouras e mais 200 Kg de macarão. 

“- É a primeira vez que será servida galinhada como prato principal, macarronada, queijo ralado e vinagrete. Começamos a trabalhar a partir das20h30 para servir o almoço a partir do meio dia”, relata José Eurípedes. 

Para Luizmar, o trabalho é uma riqueza espiritual. “Somos devotos de Santos Reis, a nossa cozinha tem o nome de Devotos dos Três Reis e temos muitas graças recebidas, inclusive para montar a cozinha, cada um deu uma coisinha e este trabalho é muito gratificante para nós”, afirma, revelando uma estatística impressionante:

 

“- Em 2014, cozinhamos em 40 festas de Santos Reis e três casamentos e a expectativa é que de este ano cheguemos a 48. Já realizamos 23 festas este ano e daqui até outubro, não temos nenhum final de semana de folga. Não temos equipe, somos uma família euma união de famílias para este trabalho. Seu Agenor e a esposa andam 50 km, vem lá dos Moreiras para trabalhar como voluntário...”, relata Luizmar ao lado de Agenor Francisco  Moreira.