Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Mas afinal o que é meio século de vida?

Edição nº 1434 - 03 Outubro 2014

Para José Renato

é ser filho de José Marques da Costa e de Nilza Alves Marques. 

É ser irmão de Sônia, Suétina e Jackson. 

É ser tio de 14 sobrinhos. 

É ser afilhado de Gaspar Marques e da madrinha Marli. 

É ter belas recordações da infância, da vida simples na roça, 

da Escolinha dos Gobbos, dos colegas, das peraltices.

É ter tirado leite no curral, levado surra e nadado pelado na cachoeira.

É ter perdido tão jovem a mãe e a madrinha amadas.  

É aventurar-se menino em busca de uma vida melhor... 

É ter encontrado os irmãos Batista, uma tia Belina, 

E até ser o Zé da Belina... 

 

É derramar o suor e saber que o trabalho enobrece o homem. 

É ter passado necessidades e escutado desculpas veladas. 

É ter se entregado na humildade e clamado pela honestidade. 

É ter tido amigos no campo, na cidade pequena e na cidade grande.

É ter se engravatado no balcão do banco e sorrido para os endinheirados. 

É ter comprado um presente para as irmãs e se inspirado neles.

É ter ido a pé da praça da República ao Cambuci em busca do amigo Fu. 

É ter encontrado mãos sinceras, honestas e gestado a Emil. 

É ter arquitetado e realizado o sonho maior, a Sak's.

É ter que matar um leão a cada dia e mantê-la de pé.

 

Meio século de vida, dom precioso de Deus!

Das saudades, tantas, indeléveis, dos que partiram. 

Do presente, os amores das próximas primaveras:

De Gabriela, Caroline e Victor. 

De saber doar o coração maior que o corpo.

Dos projetos abertos ao doar e servir:

Do Natal da Fartura, Heróis do Futuro, da natureza recomposta.

Dos amores aos velhinhos no rancho, passeios e aconchegos

Da socialização à profissionalização dos presidiários. 

Do sonhar com um mundo menos desigual.

 

50 anos de vida, tempo de olhar para trás!

E não reconhecer mágoas nos dissabores. 

E se arrepender de mágoas e lágrimas provocadas,

de inimigos arranjados,

de dores vivenciadas,

de palavras escapulidas,

de gestos mal formulados,

de questões mal resolvidas.

 

Meio século de vida, nada foi em vão!

Dia após dia, a certeza de que viver vale a pena, quando a alma não é pequena.  

Foi tudo viver, nada mais que viver, deixar viver, sonhar...

Andar por lugares longes para chegar mais perto. 

Ter a certeza de que, com o tempo vêm a sabedoria e o discernimento,

a Paz e o reencontro com o Amor.

Fazer 50 anos para José Renato...

É saber distribuir bem os talentos que Deus nos deu,

E sempre compartilhá-los com o próximo.

É saber fazer da humildade e da caridade

Nossa eterna Vitória!

 

Parabéns, Zé da Belina!

O Jornal ET agradece os convites
para a participação da festa de seus
bem vividos 50 anos