Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Homenagem a Dom Majella

Edição nº 1426 - 08 Agosto 2014

“O Senhor escolhe os arcebispos como sarças 

para neles arder, habitar, viver, resgatar,

doutrinar, consagrar e pontificar solenemente.

Pois, o vértice da alma dos arcebispos é uma

eloquente e constante epifania de Cristo e da Igreja”.

 

Por tudo isto, querido D. Majella, que sua vida

na arquidiocese de Pouso Alegre seja água viva

para alegrar as searas da cidade de Deus.

Seja a  mesa litúrgica onde as águias cristãs

busquem a carne e o sangue da vítima pascal.

Seja o decálogo da moral onde os viajores 

da terra prometida descubram roteiros seguros

para seus passos hesitantes.

Seja, enfim, a torre forte e nutrícia da fé

e a sentinela que dia e noite ronde os muros

sacrossantos da casa do Senhor.

 

E  que em  suas retinas o rebanho tenha

vigilância eterna, 

na sua voz, o ensino e a advertência,

em sua mente, a circulação fecunda do pensamento do Pai, 

nos seus lábios, a doutrina que nutre as almas,

nos seus braços, o escudo que ampara e defende,

nas suas palavras a violência que destrava

satanás e purifica o Corpo Místico

no seu báculo, a resistência, 

a constância e robustez divinas;

na sua mitra, a sabedoria 

do Antigo e do Novo Testamento 

e na sua cruz, as torrentes rubras do Calvário.

 

São estes os meus votos, querido D. Majella.

Continue sendo o magno sacerdote e bom pastor

que da montanha santa do altar apascenta

o rebanho cristão com a medula forte e sadia

da eternidade!

 

E, sobretudo, continue sendo o Evangelho vivo

do unigênito, que clarifica o Pai

e tenha palavras de vida eterna.

 

Parabéns!

 

(*) Ivone Regina

Homenagem ao Reverendíssimo e querido Arcebispo D. José Luiz Majella Delgado, CSSR, por ocasião de sua posse em Pouso Alegre em 02/08/2014