Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

PREFEITO WESLEY É ELEITO CONSELHEIRO DA AMUSUH

Edição nº 1769 - 12 de Março de 2021

O prefeito Wesley De Santi de Melo foi eleito nesta quarta-feira 10, membro do conselho da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidrelétricas e Alagados (Amusuh), estatais ou privadas, para o biênio 2021/2022, durante reunião realizada por videoconferência (foto)para a prestação de contas, eleição e posse da nova diretoria e conselho da entidade. 

A Amusuh é uma entidade municipalista criada para zelar pelos atuais 739 municípios, com empreendimentos hidrelétricos e alagados, responsáveis por mais de 60% da energia elétrica gerada no País. Estão localizados em 21 Estados da Federação e no Distrito Federal, onde residem 42 milhões de pessoas. 

Após a posse da diretoria e conselho, conduzida pelo presidente sainte, Lucimar Antônio Salmória, os novos membros realizaram a primeira reunião do mandato para discutir e aprovar as alterações do Estatuto Social da instituição. 

Falando de sua eleição como conselheiro, o prefeito Wesley disse que foi convidado para fazer parte do Conselho. “Aceitei, pela importância da entidade e seus objetivos, entre eles garantir parte da arrecadação vinda do ICMS de energia elétrica e, também, da CFURH (Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos), devido às áreas inundadas por quatro usinas hidrelétricas no município, Jaguara, Igarapava e Estreito no Rio Grande, e o lago de Nova Ponte no rio Araguari”, justificou, apontando a meta da Amusuh. 

“Nossa meta é trabalhar para melhorar a compensação financeira, porque hoje recebemos apenas 50% dessa compensação. Vamos trabalhar agora em cima destes outros 50%. Se a compensação do   minério é 100%, do petróleo é 100%, por que essa diferença em relação às usinas? Afinal, a área alagada poderia ser plantada, poderia servir para criação de gado, e estaria rendendo ICMS para os municípios.

 Para a instituição, “a água passa pelas usinas, mas os benefícios devem ficar nos municípios”.  (Fonte: http://amusuh.org.br/)