Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1777 - 07 de Maio de 2021

Atividades do PSE na Saúde ganham destaque no país

Edição nº 1777 - 07 de Maio de 2021

A Secretaria Municipal de Saúde realizou nessa quarta-feira 5, na Casa da Cultura, uma reunião do PSE (Programa Saúde na Escola), que contou com a presença dentre outras, do prefeito Wesley De Santi de Melo, do vice-prefeito Osmar Trevisan Junior, secretários, de Educação, Valdair Cândida, e de Saúde, Reginaldo Afonso dos Santos, além de representantes das escolas estaduais, municipais e particulares. Na pauta, uma avaliação das ações realizadas, que ganharam destaque na classificação obtida na região, 

estado e país 

 

De acordo com o secretário Reginaldo, o PSE, coordenado pelas secretarias de Saúde e Educação, reúne todas as escolas do município, incluindo as creches, atendendo cerca de 5 mil alunos. “O programa é composto por 12 metas para cada escola. Para cada meta cumprida, a escola recebe um recurso de R$ 12 mil. 

Apesar da pandemia ter assolado o país desde o final de 2020, as atividades do PSE não foram interrompidas, todas as escolas cumpriram as ações. De acordo com o relatório do Ministério da Saúde, Sacramento obteve honrosas classificações. Foi 1º lugar em ações na região (entre 27 municípios); 2º  lugar no Estado (entre 853) e 20º no país (com 5.568 municípios); em relação às atividades de saúde, foi 1º lugar na região; 8º no Estado e 37º no País, mostrou o secretário Reginaldo mostrando os dados do Ministério da Saúde.

 

Observou Reginaldo que o trabalho nas escolas não parou por conta da pandemia. “Ao contrário do que muitos pensam, os professores não pararam, pelo contrário, tiveram que reaprender e trabalhar muito mais. Todas as metas do programa foram cumpridas, mesmo em tempo de pandemia”, elogiou, informando que a Secretaria de Saúde distribuiu EPIs (Equipamento de Proteção Individual) aos servidores, pais e alunos que vão às escolas buscar os PETs (Plano de Estudo Tutorado) material que contém as tarefas complementares às aulas remotas a ser usado em casa pelos alunos. 

Na reunião, cada escola recebeu também um kit com EPIs, adquiridos com os recursos do PSE, composto de máscara, tapetes sanitizantes com o desinfetante, dispensador de álcool  em gel, medidor de temperatura, álcool em gel e líquido). 

 

PSE é base da Educação Integral dos estudantes 
O PSE (Programa de Saúde na Escola), do Ministério da Educação, visa a integração e articulação permanente da Educação com a Saúde, com o objetivo de contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino. 
As atividades de educação e saúde do PSE ocorrem segundo a área de abrangência da ESF (Estratégia Saúde da Família), do Ministério da Saúde, que torna possível as interligações entre os equipamentos públicos da saúde e da educação (escolas, centros de saúde, áreas de lazer como praças e ginásios esportivos, etc). 
O público beneficiário do PSE são os estudantes da Educação Básica, gestores e profissionais de educação e saúde, comunidade escolar e, de forma mais amplificada, estudantes da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).
Para o alcance dos objetivos e sucesso do PSE, é de fundamental importância compreender a Educação Integral como um conceito que compreende a proteção, a atenção e o pleno desenvolvimento da comunidade escolar. Na esfera da saúde, as práticas das equipes de Saúde da Família, incluem prevenção, promoção, recuperação e manutenção da saúde dos indivíduos e coletivos humanos. 
E, para alcançar os propósitos o PSE foi constituído por cinco componentes:  a) Avaliação das Condições de Saúde das crianças, adolescentes e jovens que estão na escola pública; b) Promoção da Saúde e de atividades de Prevenção;  c) Educação Permanente e Capacitação dos Profissionais da Educação e da Saúde e de Jovens; d) Monitoramento e Avaliação da Saúde dos Estudantes e, e) Monitoramento e Avaliação do Programa.
Kits para as escolas chegam em boa hora

Para a professora Marilda Ferreira Borges de Souza (foto), diretora da EM João Cordeiro, a notícia dos bons índices é uma mostra de que o município e as escolas estão no caminho certo.
“Na Escola Municipal João Cordeiro, discutimos  projetos a serem desenvolvidos ao longo do ano letivo,  que têm como objetivo a práticas de saúde nos diferentes âmbitos: mental,  físico e social e, enquanto escolas, nos comprometemos a desenvolver um trabalho dinâmico, obedecendo a todos os protocolos de prevenção à Covid 19, levando nossos alunos ao protagonismo e à mudança de hábitos”, afirma Marilda, acrescentando que os materiais para a prevenção à Covid 19, iniciativa tomada pela Secretaria de Saúde frente ao momento crítico que estamos vivenciando, chegam em boa hora.  
Motivo de orgulho

“Esse resultado divulgado pelo Ministério da Saúde foi motivo de orgulho para a cidade”, disse o prefeito Wesley De Santi de Melo, ao agradecer e parabenizar o trabalho das secretarias de Saúde e suas equipes, e da Educação, nas pessoas de Reginaldo Afonso e Valdair Cândida. 
‘‘Mas parabenizo também o trabalho de todos os servidores das escolas, do diretor aos ajudantes de serviços gerais, aos alunos e pais pelo trabalho realizado, assim como a todas as equpes da Saúde’’, cumprimentou, destacando a continuidade do PSE, mesmo com as aulas remotas.  
“Numa região com 27 municípios, classificar-se em 1º lugar tanto em ações na escola como na saúde, é motivo de orgulho. Isso mostra o resultado de um trabalho que está sendo bem realizado e realizado a quatro mãos, porque ninguém faz nada sozinho. Temos excelentes equipes de trabalho e todas buscando a excelência nas atividades’’, disse, elogiando o trabalho em equipe. 
‘‘Vivemos momentos tristes, de dor, de perdas, que nos impedem às vezes de reunir com a família dentro de casa, mas vem um resultado desses nos apontando que estamos no rumo certo, graças aos esforços de cada um. Não existe o 'eu fiz', 'eu faço', existe sim o 'nós estamos fazendo uma boa saúde' e vamos continuar”, frisou.