Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Saúde retoma todos os serviços médicos e odontológicos na cidade

Edição nº 1754 - 27 de Novembro de 2020

“Hoje, tendo mais conhecimento da dinâmica do vírus, o período de infecção e contaminação, e já sabendo que o melhor e o mais correto procedimento é o rastreamento e o isolamento das pessoas doentes ou suspeitas, não justifica isolar toda a cidade e, sim, as pessoas suspeitas da doença e as pessoas que tiveram contato com ela. E é com base nesses conhecimentos e com base nos índices epidemiológicos, hoje em Sacramento,  que temos segurança para voltar com o serviços ambulatoriais, cirurgias eletivas, atendimento odontológicos, enfim todos os serviços”, afirmou o secretário aos profissionais que ocupavam o auditório da Casa da Cultura, usando máscaras e respeitando o distanciamento social.

  Em relação às cirurgias eletivas (aquelas que podem ser adiadas sem risco para os pacientes) Reginaldo destaca que a Santa Casa e a equipe estão preparadas para qualquer eventualidade. “Estamos voltando dentro do novo normal, seguindo todas as medidas, porque a pandemia não acabou. Por exemplo, na odontologia, o tratamento adequado, neste momento de 'pós pandemia', é o Tratamento Restaurador Atraumático (ART), que não precisa de anestesia, nem motorzinho aerosol. A restauração é feita na base de ionômero de vidro, que calcifica todas as estruturas remanescentes. É um tratamento já adotado pelo SUS, que já criou um código para ser lançado no e-SUS”, explica, garantindo que o tratamento é 100% eficiente e seguro. 

 

Livro do IdeaSUS mostra prática de Saúde de Sacramento

 

Na mesma manhã, o secretário Reginaldo realizou com os profissionais da Saúde uma outra reunião para tratar do lançamento online do livro, 'IdeiaSUS: saberes e práticas nos territórios do Sistema Único de Saúde, no próximo dia 11 de dezembro, às 14h. Vão fazer parte da mesa de abertura, dentre outros, Valcler Rangel,  Coordenador do IdeiaSUS (Banco de Práticas e Soluções em Saúde e Ambiente); o Chefe de Gabinete da Presidência da FioCruz (Fundação Oswaldo Cruz) e a mediadora Lucia Souto,  Presidente do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes).

Para o secretário o evento será um importante encontro virtual, apresentando as práticas que participaram da Curadoria IdeiaSUS três práticas apresentadas por relatos e três através de vídeos elaborados pela VídeoSaúde Fiocruz”, adiantou, destacando a participação da Secretaria de Saúde local. “O livro traz três experiências premiadas no Rio de Janeiro em 2019 e mais três premiadas no Brasil em 2018, dentre estas a de Sacramento, com o projeto Academia Viva”. 

O site da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) esclarece que o foco principal do projeto é a Atenção Primária à Saúde, sem descartar, porém, práticas executadas em unidades secundárias e terciárias de saúde. “O projeto conta com apoio do Ministério da Saúde e de pesquisadores da Natural University of Natural Medicine (NUMM), nos EUA, e da University Technological of Sydney (UTS) – PBRN Program, na Austrália. Da primeira fase da pesquisa, participaram os serviços de referência dos municípios de Sacramento (MG), Recife (PE) e São Bento do Sul (SC) e o Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP)”, informa o site, completado pelo secretário Reginaldo.

“O Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde) realiza anualmente um congresso e no ano de 2018, das mais de 1800 expriências/projetos apresentados, foram escolhidas cinco, uma de cada região do país, inluindo o projeto Academia Viva, escolhido como o melhor projeto da região Sudeste e do Brasil, portanto dois prêmios, o primeiro regional e o outro em âmbito nacional”.  

O mais importante dessas práticas premiadas executadas pelas secretarias de Saúde é que elas passaram a receber a curadoria da FioCruz. “Em 2019, partindo  do princípio de que a troca de experiências é essencial para o processo de consolidação e fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde), a Fiocruz passou a prestar curadoria, ou seja, prestar assistência  a esses projetos premiados para que eles fossem divulgados nacionalmente, e principalmente, prestar assistência para que eles não se percam, como já aconteceu com dois deles, tanto que no livro só estão três  projetos, das regiões Sudeste (Sacramento), com o projeto Academia Viva; do Norte (Tefé/AM), abordando a saúde do trabalhador e da região Sul, que trabalha a saúde mental, explicou reginaldo”, destacando a visita dos curadores à cidade.

“- Três curadores da Fiocruz estiveram aqui para dar o seu parecer, que ficou por conta da professora doutora Gelsa Knijnik, da UFMG, de Belo Horizonte. A Academia Viva hoje não é mais um projeto, mas um programa, inclusive, com lei tramitando na Câmara, por sugestão da Fiocruz. A 'Academia Viva 'não é só fazer ginástica - ressalta o secretário - o programa contempla oito projetos, dentro das metas do SUS, envolvendo atividades físicas, educação em saúde, controle de drogas/tabagismo, meio ambiente, obesidade, saúde mental, etc. 

O programa Academia Viva reúne 40 profissionais/monitores de diversas áreas (yoga, reik, dança, música, esporte tais como karatê, hidroginástica, jump, steep, etc), que atendia, antes da pandemia, 400 pessoas, diariamente. Com aulas suspensas desde março, as atividades retornaram na última semana já com 250 pessoas em atividades, obedecendo a determinados protocolos, conforme ressalva o secretário.

“- Pelo fato de evitar aglomeração, tem faltado espaço para as práticas, por isso as quadras de esportes da cidade serão utilizadas. As pessoas querem participar, mas para evitar aglomeração, o número é limitado a 12 pessoas, no máximo 15, então vamos para as quadras e já já retornando também  para os idosos, sem discriminação. O fator idade não pode ser olhado em questão de saúde, não é justo. Descriminação não deve existir dentro do nosso sistema de saúde, nem para idosos, nem para criança e jovens”. 

Volta às aulas 

Por fim, Santos afirma à reportagem que é a favor da volta às aulas. “Eu sou a favor da volta às aulas de maneira segura, efetiva e responsável. O que esses jovens estão fazendo dentro de casa? Se é que estão dentro de casa. Porque não estão. Eles estão nos botecos, nas ruas, nas praças, fazendo o que ninguém sabe. Na minha opinião, está na hora de voltar, na hora de recomeçar. Melhor voltar para o ambiente de educação, que ficar num ambiente de total libertinagem”, afirma. 

 

O que é o IdeiaSUS

 

O IdeiaSUS (Banco de Práticas e Soluções em Saúde e Ambiente) é uma iniciativa da cooperação técnica entre a Fiocruz, o Conass e o Conasems, no âmbito da Rede de Apoio à Gestão Estratégica do SUS (Sistema Único de Saúde). Em outras palavras: o IdeiaSUS tem como finalidade a divulgação e consulta de práticas e soluções para o SUS, implantadas nos diversos territórios do país. Seu lançamento oficial aconteceu durante o 19º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, em Brasília, no dia 8 de julho de 2013, pela então presidenta Dilma Rousseff.

Coordenado pela presidência da FioCruz, o IdeiaSUS tem como objetivo identificar, reunir e disponibilizar um banco de “práticas e soluções” em Saúde e Ambiente, partindo do princípio de que a troca de experiências, “exitosas ou não”, são essenciais ao processo de consolidação e fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). 

O IdeiaSUS e o Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa (CABSIn) firmaram parceria no desenvolvimento de um projeto que visa avaliar a efetividade das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)em unidades de saúde do SUS, portanto, tendo como foco principal a Atenção Primária à Saúde. A proposta é gerar evidências em relação aos resultados das PICS sobre os agravos de saúde mais comuns em nossa população. Uma dessas práticas premiadas foi o projeto 'Academia Viva', criado no governo do atual prefeito Wesley De Santi de Melo.