Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

No meio de cinco usinas, município está com falta de energia elétrica

Edição nº 1754 - 27 de Novembro de 2020

Retomando as atividades como prefeito da cidade sem a preocupação dos compromissos de campanha e de como vão indo os adversários, o prefeito Wesley De Santi de Melo esteve em Belo Horizonte nessa quarta-feira 25, acompanhado do vice prefeito Osmar Trevisan Júnior e do advogado Luciano Leitão Lavor, representando o Laticínios Scala,  onde se encontraram com o deputado Bosco. Na pauta, uma reunião com o governador Romeu Zema para tratar de assuntos de interesse do município, especificamente, buscar solução para a falta de energia elétrica para expansão industrial daquela empresa que projeta um grande investimento no município.

 

No meio de cinco hidrelétricas, Jaguara, Estreito, Peixotos, Nova Ponte e Macacos, o município de Sacramento está vivendo uma deficiência de sua capacidade energética. Empresas querem se expandir, o agronegócio quer abrir novas frentes e um distrito industrial está prestes a ser implantado, mas esbarram na falta de energia elétrica. Essa preocupação vem tirando o sono do prefeito Wesley há algum tempo. Por isso, foi bater à porta do gabinete do governador do Estado, Romeu Zema.  

“Nas nossas andanças na campanha eleitoral, nos deparamos com uma grave situação, a falta de energia elétrica para suportar a ampliação das unidades fabris de empresas da cidade, antevendo ainda um exponencial crescimento do agronegócio no município. A verdade é que estamos no limite e prestes a receber altos investimentos empresariais e, a continuar assim, vai faltar energia”, comentou o prefeito Wesley em entrevista ao ET, justificando o encontro com o governador.

“O advogado Luciano Lavor, representando o Scala no encontro, apontou ao governador a preocupação da empresa para a ampliação de seu parque industrial que vai gerar centenas de empregos, sem falar que estão aportando no município várias empresas ligadas ao agronegócio, para atuar na produção de grãos, fruticultura, batata, alho, cebola e, infelizmente, não há energia elétrica suficiente para atendê-los. Durante a campanha eleitoral, recebemos a visita do deputado Bosco a Sacramento e conversamos sobre esse assunto, já solicitando uma audiência com o governador Romeu Zema, o que aconteceu esta semana”, informou, avaliando como 'proveitosa' a reunião. 

“E lá fomos nós para uma reunião com o governador Romeu Zema, por mim avaliada como muito proveitosa da qual participaram também o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio de Avelar, e o secretário de Governo do Estado, Igor Etô. O governador se sensibiliza muito com questões de desenvolvimento. E esse foi nosso objetivo, não de pedir, mas de sensibilizá-lo de que precisamos dessa energia com uma certa urgência por conta dos grandes investimentos do Laticínios Scala, dos empregos e do ICMS que essa expansão vai gerar, juntando ainda a ampliação da área plantada no município de novas empresas que chegam”, justificou.

De Santi mostrou ao governador a urgência dessa solicitação junto à Cemig e detalhou o desenvolvimento sócio-econômico da cidade. “Falamos do desenvolvimento de nosso município e dos investimentos previstos pelas empresas e pedimos agilidade nessa questão, para que a Cemig agilize a liberação da energia necessária, para que o Scala possa, dentro de seu cronograma, realizar a expansão de suas unidades. O Governador, de pronto, disse que vai resolver essa questão pessoalmente, e já marcou uma reunião com o presidente da Cemig para a próxima segunda-feira. Nós, como gestores públicos, temos que servir de elos, abrir portas para as empresas. Temos que exercer nosso papel de prefeito, mesmo porque essa intervenção vai beneficiar nossa população que carece de mais empregos. São muitos jovens que saem de nossa cidade para buscar emprego em outras cidades”, pontuou.

 

Outra cobrança feita ao Governo Zema pelo prefeito Wesley foi relativa ao distrito  industrial, cuja implantação está prevista para o próximo ano. “Essa expansão de energia, além de atender o novo empreendimento do Laticínio Scala, deve ser suficiente também para atender o distrito industrial da cidade, cuja área já foi adquirida e que estaremos implantando neste próximo ano. A Prefeitura vai executar a infraestrutura do local, com a extensão de rede elétrica recomendada, mas precisamos da garantia dessa energia. E, para isso, o governador também se comprometeu em resolver esta questão. Voltamos satisfeitos da reunião, com o compromisso assumido por parte do governo mineiro e confiantes de que, em breve, esta situação será resolvida”, finalizou.