Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1751 - 30 de Outubro de 2020

Scala realiza 9ª Convenção de Vendas

Edição nº 1457 - 20 Março 2015

Laticínio Scala reúne 17 vendedores em Sacramento

Vendedores de 17 setores espalhados em 20 estados  e diretores do Laticínio Scala participaram, nos dias 12 a 14 de março, da IX Convenção de Vendas Scala, que tem como objetivo, avaliar o trabalho do ano anterior valorizando as experiências bem sucedidas e traçar as metas para 2015. Além, claro, de ser um momento saudável de reencontro e confraternização entre amigos.

Organizada pelo gerente de Maketing e Vendas, Marco Antônio Barbosa e equipe, a Convenção é  um dos pontos altos na empresa. “A empresa vive um momento de crescimento gradativo, por isso a importância dessa convenção anual para fazer um diagnóstico e um alinhamento de um dos mais importantes setores da empresa, as vendas”, destacou, explicando o trabalho feito. 

“- Esses dois dias de reunião e estudo têm dois objetivos principais: avaliar o que foi o ano de 2014 em termos de venda e traçar as metas para 2015, que é um ano que está sinalizando ser difícil na economia como um todo'', ressalta. 

Para isso, destaca Marco Antônio a importância de buscar alternativas para manter as vendas e obter resultados. ''Nessa convenção, além de colocarmos todos no mesmo nível de informações, buscamos novas alternativas de marketing, e apresentamos  também os novos produtos.  Nosso grande desafio é não deixar a equipe se contaminar por esse momento negativo e, sim, motivá-la como oportunidade de novas alternativas para vendas”, frisou. 

Ainda de acordo com o gerente Marco Antonio, a convenção serve de 'termômetro' para conhecer a aceitação dos produtos Scala.

 

“- Estamos presentes em 20 estados e nossa participação é distinta em cada um deles. Nessas convenções dá pra avaliar bem, por exemplo, que nosso carro chefe continua sendo São Paulo, não só a capital, mas todo o interior, com o maior volume de vendas. Em seguida, vem  Minas Gerais, Paraná e por aí vai nos demais estados. É importante ter esse briefing e feedback da equipe para nortear as ações, anualmente”, justifica.

 

Três irmãs que cresceram com o Scala 

Alguns vendedores cresceram com o Laticínio Scala, fazendo parte de sua história. Primeiro, três irmãs paulistanas,  Isana, Sandra e Cláudia, que seguem os passos do pai, Douglas Ribeiro Souto, o primeiro vendedor Scala na capital, em 1963. 

- “Papai foi o primeiro vendedor dos produtos Scala. Foi ele quem levou o primeiro caminhão de queijos para São Paulo. E foi interessante. Ele conta que o 'seu' Sebastião Scalon avisou para meu tio Jaime, que queriam uma pessoa para vender em São Paulo. Tio Jaime justificou que estava de mudança para Brasília, mas tinha uma pessoa para o trabalho, indicando meu pai. Eu tinha três anos. Papai ainda é vivo, mas ele e seu Nino eram como irmãos, até hoje papai se emociona muito ao lembrar dessa convivência”, relata Isana. 

A irmã Cláudia que começou as vendas com o pai há 32 anos, também recorda outra história. “Os queijos eram levados  em caixotes, 12 peças em cada caixa, carregadas nos ombros. Papai acordava 4h da manhã pra descarregar caminhões. Não havia refrigeração, as caixas  ficavam lá na garagem  até vender, só que  a qualidade era tão boa que não acontecia nada...”, relata e Sandra completa:  “Uma evolução fantástica e acompanhamos tudo isso. A gente tem orgulho de fazer parte dessa história e seguir os passos de papai com os produtos Scala. Nossa participação na empresa é coisa de família”.

Gisele Portioli Tanjone, vendedora da região de Ribeirão Preto, assumiu as vendas no lugar dos seus pais, Wanderley e Dirce. “Meus pais começaram com seu Nino há mais de 40 anos. Eles tinham o Laticínios Coral e começaram a  vender manteiga e depois o  queijo Scala. Eu era criança e me lembro de meu pai vir buscar manteiga e queijo em Sacramento pra vender na região de Ribeirão Preto. Às vezes, o 'seu' Nino levava numa  caminhonetinha e, geralmente, acompanhado da esposa, a dona Cleria. 

 

Papai faleceu, aí eu fiquei com a representação dos produtos Scala e minha irmã ficou com a Coral ajudando a mamãe, que está com 83 anos. Cresci com isso vendo a evolução no setor, acompanhando de perto esse crescimento do Scala ano a ano. Foi lindo poder acompanhar a sua história e continuo até hoje pela fidelidade que eles têm com os clientes, que confiam nos produtos. Visto a camisa e me sinto orgulhosa de fazer parte dessa equipe”, relata, ao lado do diretor Marcel Cerchi, que revela o vínculo de amizade que cresceu entre as famílias.

 

O perfil dos vendedores Scala 

Todos trazem em comum a filosofia da empresa’

Embora o perfil dos vendedores do Laticínio Scala seja bem diversificado, de ambos os sexos e de vários estados do país, conforme explica, Marco Antônio, todos trazem em comum a filosofia da empresa, que nasceu há 52 anos com o patriarca da família, Leonildo Luigi Cerchi seu sócio, Sebastião Olinto Scalon, que mais tarde deixa a empresa. Portanto, uma empresa familiar cuja tradição remonta mais de meio século de qualidade e bons serviços”, ressaltou. 

 

Por trás da marca, atualmente, estão também cerca de 640 pessoas, entre diretores e  funcionários dos mais variados setores, desde a produção ao transporte, que se somam aos vendedores que percorrem o país na linha de frente para fazer chegar o produto Scala nas gôndolas dos supermercados do Nordeste ao Rio Grande do Sul.   “Os vendedores, alguns trabalhando desde o início da expansão do Laticínio Scala, são os responsáveis por tornar conhecida esta marca pelo Brasil à fora”, destaca o gerente.