Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Saudades...

Edição nº 1452 - 13 Fevereiro 2015

A professora Celma Silva Souza (foto), 68, diretora da EM João Cordeiro,  morreu às 21h do último sábado 7, no Hospital Hélio Angotti, em Uberaba, onde se encontrava internada há cerca de 15 dias para tratamento de leucemia, depois de uma semana internada na Santa Casa de Misericórdia de Sacramento. Seu corpo foi trasladado para Sacramento e acompanhado por centenas de familiares e amigos no velório Maurício Bonatti. Após as exéquias, foi sepultada às 13h do domingo 8, no Cemitério São Francisco de Assis. 

Celma deixa o marido Baltazar, a filha Nurimar e três netos e muitas saudades nos corações de todos que a conheceram. 

Celma era a segunda filha do casal João Manuel da Silva (João Caiana) e Maria Antonia da Silva, pais de outros doze filhos. Celma foi uma das filhas de Mãe Corina, mas de acordo com a irmã Ana, ela nunca perdeu  o vínculo com a família. “Celma foi para o Lar de Eurípedes ainda criança, mas sempre esteve com a família, sempre muito presente e querida por todos nós”, afirma. De acordo com Ana, há quatro meses  Celma descobriu a doença e logo iniciou o tratamento. Seu quadro, porém, veio se agravando. “Ela foi piorando, ficou internada na Santa casa uns dias e depois foi transferida para Hélio Angotti, mas não apresentou melhoras. Ela morreu assistida pela nossa irmã, Madalena”, relata. 

Professsora e pedagoga, Celma deixa um grande legado para a educação na cidade, tanto na rede estadual, onde trabalhou até se aposentar, na EE Sinhana Borges, como nas escolas municipais, Júlio Borges (Jaguarinha) e, atualmente, ocupando o cargo de diretora na João Cordeiro.

 A afilhada Karen, que a partir dos dez anos viveu com a madrinha Celma, postou uma mensagem na rede.  “Você foi pra mim a alegria de cada dia. A palavra amiga. O amor eterno. A segunda mãezinha... O sustento ... a alegria. ...Você  para sempre será exemplo em minha vida. Mal partiu e já deixou saudade.. Obrigada  por você  existir e ter feito parte tão significante em minha vida”.