Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1742 - 28 de agosto de 2020

SAAE muda logomarca e recebe críticas

Edição nº 1465 - 15 Maio 2015

O novo secretário do SAAE, Marcelino Marra Batista mudou a logomarca do SAAE pagando R$ 6.800,00 pelo novo desenho, que não mostrou muita alteração, segundo o vereador Pedro Teodoro de Rezende, mostrando as duas logos na reunião da Câmara na última segunda-feira (Veja as fotos enviadas pelo vereador ao ET). Informou o vereador que expediu requerimento ao diretor do SAAE pedindo esclarecimentos sobre a necessidade da mudança, especialmente, em tempos de grave crise financeira. 

“- A logomarca do SAAE foi alterada, como acontece normalmente em empresas públicas e autarquias, sendo que o custo para a criação custou R$ 6.800,00, através de licitação sob a modalidade convite” -  afirmou Dr. Pedro em plenário, com as imagens das logos,  questionando as diferença entre elas. “São pouquíssimas as diferenças entre a antiga logo e a nova criação”, frisou, passando aos demais uma copia das logomarcas para melhor visualização.

Dr. Pedro questionou também a necessidade da nova criação e o valor exorbitante pago pelo desenho, “pois sempre que é pedido algo ao Executivo a resposta do prefeito e seus superintendentes são sempre as mesmas:  'A Prefeitura não tem dinheiro'”. Finalizou dizendo que “esse tipo de atitude tomada desacertadamente é típico do ex-euperintendente de Governo que agora representa a autarquia SAAE”.

 

O que disseram os internautas

Pela rede social o ex-vereador e ex-secretário de Cultura e Turismo, Amir Salomão Jacób postou mensagem no feicebuque criticando o fato de o secretário do SAAE, Marcelino Marra, ter pago R$ 6.800,00 pela mudança da logo, para ele sem muita alteração e desnecessária num tempo de arrocho financeiro.

“- O pingo d´água continuou, só que ao invés de metade branco e metade azul, ficou todo azul... e PRONTO...lá se foram SEIS MIL E OITOCENTOS REAIS tirados do cofre público para pagar essa inovação”, criticou o ex-vereador, isentando o autor da nova arte. “Não estou criticando a firma ou a pessoa que a fez. Um estabelecimento comercial está no mercado para prestar serviços a quem o procura, que cobre o que achar que deve e não sou eu quem vai ditar seus preços”.

 

Amir critica, “a necessidade de se fazer esse serviço com dinheiro público num tempo de penúria financeira da população. estou criticando o silencio do prefeito diante dos desmandos desse senhor à frente da autarquia” (Outros comentários no 'De Olho na Rede').