Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

De olho na rede

Edição nº 1464 - 08 Maio 2015

CAVALGADA DE 1º DE MAIO

A Cavalgada de 1º de Maio rendeu comentários que vão de elogiosos a críticos por várias atitudes: animais sobre os canteiros centrais, uso de bebida alcoólica durante o desfile e maus tratos aos animais. 

Wall Oliveira: O desfile de 1º de Maio vai do espetáculo cultural mais lindo de nossa terra para a maior falta de noção dos "seres humanos".

Didi Dias: Lastimável a falta de educação e de maus tratos aos animais!

Abner Abneristóteles: Lamentável a falta de educação! Pisotear os canteiros centrais? Aposto que semana que vem alguém estará lá restaurando... Isso gera custos... Nosso dinheiro... Acho que tem outras maneiras de protestar...

Henrique Bizinoto: Sei que toda a classe de cavaleiros repudia esse tipo de ação.... Andar em cima dos canteiros (que na minha humilde opinião não servem pra nada). Agora por graça de uns não podemos perder o respeito por todos..... Isso é uma tradição na cidade.... Da mesma forma que o carnaval e outras festas geram sujeira. O desfile também...

Tamires Vieira:  Cavalo mal tratado é aquele que passa fome, que passa sede, que é cavalo magro. A cavalgada não é judiação, Se fosse nem existiria mais... Antes das cavalgas alimentamos, damos água, lavamos, casqueamos ..., isso não  é judiação.  

André Palhares: Pode se cavalgar tranquilo desde que se respeite os animais e as pessoas. Fazendo isso não vejo problemas.  Ninguém quer que acabe com a cavalgada. É só respeitar os animais. Não são todos que maltratam os animais. Mas os que fazem estragam a festa.

Leonardo Santana: Total falta de respeito dessas pessoas, podem não gostar do canteiro, mas, estragar é uma falta de educação. Também não gostei dos canteiros, mas, eu não subiria neles a cavalo...

Daniel Augusto Silva (Animais Sacramento) Postou um vídeo com maus tratos e os dizeres: Não somos contrários às comemorações do Dia 1º de Maio e sim, somos contra a desorganização, bebedeira, maus tratos de animais e o desrespeito com nossa população simpatizante do evento, que acaba por assistir um verdadeiro espetáculo de covardia com nossos animais.

Bruno Martins: Alguém acha isso bonito! Que tipo de gente defende essa maldade? Maltratar animais por diversão é sadismo, e tudo debaixo dos narizes dos organizadores. Eu penso que cada um é responsável por seu animal. Aos organizadores cabe inibir esses maltratos. A bebida também deveria ser proibida. Fica feio ...

Maurício Matias de Oliveira: Estou de acordo, o desfile é muito desorganizado e muitos não têm respeito pelo animal que está sob sua responsabilidade. Temos que repensar a forma de organizar o desfile para que possamos ter uma festa bonita e com respeito a todos.

Ana Lúcia Scalon: Não vi o vídeo, e me recuso a assistir ao desfile. Como já disse há comitivas que dão gosto de serem vistas, mas há pessoas que vão realmente pra aparecer ...

 

CENTRO ADMINISTRATIVO ATENDE DAS 12 ÀS 18H

Conforme o Decreto nº 176, de 30/04, em caráter experimental, o atendimento no Centro Administrativo passa a ser das 12 às 18h. A medida rendeu muitos comentários...

A mudança de horário de atendimento da Prefeitura da cidade deu o que falar na rede. Vários comentários, alguns até ofensivos, e que, por uma questão de ética e respeito não podemos publicar sem ouvir o 'o outro lado'. Foi o que fizemos, veja reportagem nesta edição com as justificativas do prefeito Bruno Scalon Cordeiro. 

 

CÂMARA MUNICIPAL 

Vários internautas foram à rede esta semana criticando “a falta de entendimento” dos vereadores nas sessões da Câmara Municipal, alguns denominando a atitude de “Vergonhosa”. O fato choca os ouvintes, e com razão. Por outro lado, o parlamento é a expressão máxima da democracia, uma casa de discussão de ideias, às vezes, acaloradas, onde situação e oposição se empenham em duas atitudes sempre contrárias, defesa e ataque; e uma terceira meio esquecida, o consenso. O que não pode é perder a linha!! 

Orlando Gonçalves de Faria: A falta de educação dos companheiro ali a falta de entendimento,  vergonhoso para nos população que acompanha  pela radio Sacramento. Estou muito indignado.

Aparecida Martins Rocha: Eu fico indignada de ouvir vereador tomar conhecimento de projeto na hora da reunião, sendo que o mesmo já tramita há 15 dias na Câmara.  

Gilson Balduino Borges: Enquanto continuarem as picuinhas políticas, Sacramento nunca irá pra frente, porque todo governo que entra só quer agradar seus apoiadores e esquecem dos bons profissionais que têm que sair de Sacramento para serem valorizados, enquanto enchem as secretarias de profissionais de outras regiões por interesses políticos próprios, deixando nossa população sem saúde,  lazer,  segurança...

 

... ENQUANTO ISSO NA COMUNIDADE DO BANANAL...

Lidy Oliver Oliveira: Atenção autoridades! Nesse fim de semana estive na comunidade do Bananal e os moradores pediram pelo amor de Deus pro pessoal arrumar as ruas do povoado. As patrolas foram lá pertinho e não arrumaram. Alguém interceda e arrume o arraial do Bananal, está um descaso...

 Rodrigo Dimas: É um lugar de gente humilde. Será que alguém ou alguma autoridade não vai tomar as providências? Resolvemos publicar estas fotos porque o Bananal é terra de gente muita querida, de festas das melhores da região. Na época de eleição estavam lá só pedindo votos...

Túlio Costa: São buracos nas comunidades rurais, buraco nas vias públicas dos bairros periféricos da cidade, buraco nos atendimentos básicos aos munícipes... Está difícil! (...)

 Vivi Martins: Eu mesma presenciei o atual prefeito fazendo mil promessas pro meu tio.  

 

SOLIDARIEDADE 

Professores das Escolas Coronel e Sinhana Borges manifestaram solidariedade aos professores do Paraná, vítimas do confronto com a polícia no dia 29/04, quando tentavam acompanhar a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) que votava um projeto que promove mudanças no custeio da ParanáPrevidência, o regime próprio da Previdência Social dos servidores paranaenses. Por quase duas horas, a PM usou bombas de efeito moral, jatos d'água, spray de pimenta e balas de borracha para conter o avanço dos manifestantes na praça em frente a Alep, mais de 200 ficaram feridas, a maioria professores. A proposta foi aprovada em redação final na quarta e sancionada pelo governador Beto Richa na quinta (30). O objetivo da Lei, ainda com a administração estadual, é dar fôlego ao caixa do governo, proporcionando economia de R$ 125 milhões por mês. 

 O secretário de Segurança Pública do Paraná, Fernando Francischini reprovou o ataque, “Não tem justificativa. Nós lamentamos. As imagens são terríveis. Nunca se imaginava que um confronto como esse terminasse de maneira tão lastimável, com as imagens que nós vimos. Nada justifica lesões, vítimas, de ambos os lados”. O MP investiga os excessos.