Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Casa Assistencial pode encerrar atividades em Sacramento

Edição nº 1470 - 19 de Junho 2015

A Casa Assistencial Doutor Bezerra de Menezes, hospital filantrópica espírita localizada no povoado de Santa Maria, corre o risco de fechar. A informação foi divulgada pela diretoria no G1 Triângulo Mineiro, nessa terça-feira, 16/06, alegando falta de recursos para continuar mantendo a instituição. De acordo com os diretores, os recursos disponíveis em caixa são suficientes para manter a entidade só até o fim deste ano. 

Inaugurada em agosto de 1999 por Heigorina Cunha, de saudosa memória, a casa atende, através de uma equipe de profissionais multidisciplinar, crianças e adolescentes de até 14 anos, portadores de  deficiência física ou mental. Mensalmente, a instituição tem 30 assistidos, que passam por fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais de saúde. 

"- Se a nossa situação não melhorar, o tempo está contado. Estamos dependendo de doações, pois não trabalhamos com o Poder Público", disse a diretora da instituição, Célia Essado Garcia de Moraes, informando que as despesas da casa com a manutenção é alta. “Gastamos cerca de R$ 25 mil mensais, só com a folha de pagamentos”, revelou. 

  Em entrevista ao ET, a fundadora da obra, Heigorina Cunha, revelou como nasceu seu sonho de construir aquela casa assistencial, relatando a sua própria recuperação de uma paralisia infantil com massagens com água morna, por orientação espiritual do médico Bezerra de Menezes, depois de várias cirurgias e nenhuma esperança por parte dos médicos. 

Narrou Heigorina que ela mesma se dedicou, por muitos anos a fazer massagens em crianças e confeccionar botinhas para as vítimas da doença, que mais tarde foi erradicada no país. Mas o sonho de Heigorina permaneceu e se tornou realidade com a inauguração da Casa em 1999.  Heigorina Cunha morreu aos 90 anos, no dia 11 de agosto de 2013, deixando um grande legado para o Espiritismo e Sacramento. 

O doador do terreno para a construção do hospital, Ármilon Ribeiro de Melo, recordou na reportagem o pedido feito à família para a doação da área. “Já que vocês têm tanta terra e não sabem o que vão fazer, poderiam me doar 80x80x80x80, 6.400 metros quadrados, pra eu construir um hospital aí. E assim foi feito”, disse mais historiando como tudo começou. 

Para o motorista Rubens Antonio da Silva, pai de R, assistido pela Casa Assistencial, as mudanças no filho são perceptíveis. “Ele melhorou cem por cento na voz, na fala e na alegria. Ele desenvolveu bastante”, afirmou o pai. Também a advogada Valéria Skaff no seu depoimento à TV, declara que a filha ML melhorou muito. “Ela está muito mais comunicativa, já está começando a falar e a  assistência aqui, além do acompanhamento em  fonoaudiologia que ela tem,  há o atendimento familiar...”

Quem puder ou quiser fazer alguma doação para a instituição, pode obter informações no telefone (34) 3351-8133.