Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1777 - 07 de Maio de 2021

Produtor rural realiza I Festa do Queijo

Edição nº 1121 - 3 Outubro 2008

O produtor rural, Joel Urias Leite, o único produtor de Queijo Minas Artesanal no município, promoveu dia 26 último, na fazenda Nova Califórnia (Caxambu) a I Festa do Queijo Sacramentano, onde reuniu produtores de várias regiões do município, Pinheirinho, Desemboque, Soberbo, Sete Voltas, Pinheiro, Moreira, Quenta Sol, Gameleira, Tamaduá, Jaguarinha e Santa Bárbara. “É um orgulho muito grande, ter podido buscar o povo, reunir para fazer essa festa e falar de cooperativismo e melhoramento do queijo com mais qualidade, por isso está nascendo aqui a primeira Festa do Queijo Sacramentano”, justificou, afirmando que o encontro é também uma forma de divulgar o produto e aprender mais sobre ele. “Só que preciso do apoio de todos desde o tirador de leite, do produtor, do poder público, do comércio”, afirmou Joel em entrevista a este jornal, que cobriu o evento com a repórter Maria Elena de Jesus.

Joel, a esposa Marli Cândida Leite e os filhos Ravana e Reickman receberam os convidados com uma mostra dos produtos todos elaborados à base de queijo, mesa que encantou os olhos e o paladar, sem falar do queijo Minas Artesanal regado a vinho e um delicioso churrasco.

 

Pioneiro no município

Tudo começou há três anos, quando Joel começou a fabricação do queijo Minas artesanal. Aliás, na micro região de Araxá, são apenas dois, Joel em Sacramento e outro em Araxá.  Apesar da produção razoável de Joel, ele ainda não tem mercado para dispor o produto. “Temos aqui uma indústria familiar, trabalhamos em família. O queijo é certificado, só que ainda não tenho condições de embalar aqui e não tenho mercado, por isso o queijo vai para o Entreposto de Laticínio Só Nata Ltda., de Araxá, e de lá ele sai para o mercado, como um produto de Araxá. Espero que o futuro prefeito do município se interesse pelo programa e nos apóie no projeto. Faz três anos que estou com esse projeto e agora é só crescer”, explica Joel, declarando a vontade de orientar outros produtores para qualificar o queijo.

 

Grande empreendedor

Calimério Guimarães, médico veterinário, funcionário do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária) em Araxá, na área de queijos, durante palestra fez uma abordagem do que é o Queijo Minas Artesanal. “Trata-se de um programa de melhoria da qualidade do queijo, criado pela lei estadual 14.185, de janeiro de 2002, com o objetivo de valorizar o queijo mineiro”, disse em entrevista, falando da dificuldade do programa. “Joel é pioneiro aqui no município, mas temos muita dificuldade com esse programa, devido os produtores de queijo estarem muito dispersos, alguns até isolados. Para se ter idéia, dos mais de 10 mil produtores de queijo no Estado, apenas 80 são cadastrados”, informou.

O IMA dividiu o estado em quatro micro regiões: Cerro, Canastra, Serrado e Araxá. “Na nossa região há apenas dois cadastrados, o Joel e Alexandre Honorato em Araxá, por isso ele merece muito incentivo, muito apoio. Joel é idealista, lutador, um verdadeiro empreendedor e vai crescer. E são iniciativas como a dele aqui hoje que divulgam o programa do queijo Minas, e que une os produtores”, elogiou, ressaltando as novidades. “Embora os incentivos sejam pequenos por parte do Estado, o que conseguimos recentemente é que o IMA fará os testes de laboratório, gratuitamente, o que já representa um incentivo muito grande para os produtores, porque cada exame fica em torno de R$ 400 a R4 500 reais”, explicou. 

José Valnivam Ferreira, hoje veterinário aposentado da Emater, um dos que acompanhou o projeto de Joel desde o início, elogiou o seu trabalho. “Vimos nele uma liderança e uma vontade de crescer. Embora esteja praticamente sozinho, Joel vem abrindo caminho, tem um potencial muito grande e merece ser apoiado. Essa Festa do Queijo partiu dele e ficou agendada na Emater. Hoje aposentado, foi com muita satisfação que recebi o convite e fiz questão de vir prestigiá-lo. Agora, esperamos que para as próximas festas ele tenha mais apoios, porque ele é um grande empreendedor, tem visão', afirmou

Paulo Chiba, veterinário da Emater, na cidade há cinco meses também elogiou o trabalho do produtor. “Vemos nele uma liderança e esperamos que outros produtores venham participar do programa, que visa a segurança alimentar. Esse queijo está dentro dos padrões exigidos pelo IMA, passando por todo um processo de fabricação, desde o controle sanitário do rebanho. Treinamento do pessoal para o manuseio do queijo, tudo muito rigoroso”, disse, adiantando que a Emater promoverá na cidade um curso sobre o Queijo Minas Artesanal, abordando todos os aspectos: boas práticas de fabricação, controle sanitário, dejetos, dentre outros”, disse, colocando a unidade da Emater à disposição dos produtores, junto com Roberto Carlos Mendes Filho, também funcionário da Emater.

Ílio fala de cooperativismo
Ílio Borges Araújo, presidente da Credicoasa, convidado para falar de cooperativismo, falou da importância da união da classe. “Apesar da minha experiência com cooperativismo, aconselho vocês a criarem uma associação dos produtores de queijo, porque pra se criar uma cooperativa é preciso ter uma boa administração, porque o que temos visto é que, sempre alguém acaba levando vantagem”, frisou, exemplificando com a Coasa que hoje está nas mãos do Laticínio Jussara. “A Credicoasa que graças a Deus está estabilizada, mas que passou por maus pedaços, por isso, o meu conselho é que vocês comecem com uma associação, buscando parcerias e orientações junto a OCEMG – Organização da Cooperativas em Belo Horizonte, e fazendo cursos para se prepararem para terem êxito”, disse, parabenizando a iniciativa de Joel, colocando a Credicoasa à disposição dos produtores. 
Outros assuntos abordado por técnicos foram a qualidade do queijo, a higiene bovina e a comercialização do queijo certificado, essa última com abordagem feita por Marcelo Rezende, secretário executivo da Sertão Brás. “O mercado está cada vez mais exigente, e a tendência do queijo caseiro é desaparecer do mercado, por isso é preciso que vocês se organizem e invistam na melhoria da qualidade dentro dos níveis sanitários exigidos. E sem união, os queijeiros vão continuar ganhando dinheiro em cima de vocês nos grandes centros. Só a união de todos pode acabar com os atravessadores que vêm aqui compram o produto por mixaria e vendem nos grandes centros a peso de ouro”, alertou.
Concurso de Queijos
O I Concurso de Queijos contou com a participação de 14 produtores de queijo do município. De acordo com Joel, o objetivo é incentivar os produtores a investir na melhoria da qualidade. “Todos os produtores podem participar do concurso, eu não participo, porque o queijo é certificado, mas quero incentivar os demais produtores a investirem em qualidade do produto”, justificou. 
Os queijos, julgados através da cor, consistência e paladar, foram degustados pelos juízes, Jadir José da Silva, do Entreposto Só Nata; Marcelo Rezende, da Sertão Bras; Calimério Guimarães, do IMA de Araxá; Ílio Borges Araújo e Francisco Afonso da Costa, que escolheram os três melhores queijos do Concurso:
1º lugar: Marilda Afonso Alves (Moreira) 
2º lugar: Arimondes Flavindo da Silva (Sete Voltas)
3º lugar: Deniz Leite (Caxambu).
Os três vencedores receberam como prêmio, além do troféu, produtos veterinários e de higiene animal e pessoal (copos de iodo, papel toalha, botas brancas, máscaras e toucas, aventais, masticine, placas de CMT, etc.). 
Feliz com o resultado da festa Joel, agradeceu a todos os participantes e os patrocinadores e convidou para a II Festa do Queijo Sacramentano, na comunidade Moreira em 2009, na propriedade de Marilda, vencedora do concurso.