Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1783- 18 de junho de 2021

ET News

Edição nº 1119 - 21 Setembro de 2008

IMA multa produtores rurais que não vacinaram rebanho

 O Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, está multando os produtores que não vacinaram o rebanho contra a Brucelose. A imunização é obrigatória para as bezerras com idade entre 3 e 8 meses, uma vez na vida. Os animais vacinados são marcados com a letra "V" do lado esquerdo da face. A vacinação contra a Brucelose se tornou obrigatória no país em 1997 e deve ser feita por um veterinário ou vacinador credenciado. A multa para quem não aplica a vacina é de R$ 45,00 por animal não vacinado.

 

A brucelose é uma doença infecto-contagiosa causada por bactérias do gênero Brucella e que ataca alguns animais e também o homem. Brucelose é uma zoonose que existe em várias partes do mundo e causa grandes prejuízos econômicos. Nas vacas, os principais sintomas da brucelose são: aborto no final da gestação, retenção de placenta, nascimento de bezerros prematuros, fracos ou mortos, problemas reprodutivos, infertilidade e artrite. Os touros com brucelose podem ter problemas reprodutivos, como a inflamação dos testículos, podendo ficar estéreis. No homem, a brucelose causa febre alta, calafrios, dores musculares, na cabeça e nas articulações, insônia, irritação, depressão, impotência sexual, constipação e outros sintomas. 

 

Exame de Motorista: Índice de reprovação chega a 80%

Pode chegar a 80% o índice de reprovação dos candidatos que fazem prova para tirar sua Carteira Nacional de Habilitação. A informação é dos próprios instrutores, que apontam como causa a severidade e o rigor do exame, além do nervosismo dos candidatos. 

A manhã dessa sexta-feira,19, foi bastante movimentada em frente a Delegacia, pela presença de mais de 50 candidatos que foram fazer o exame de rua com carros, e outras 15 com motos, para enfrentar o trânsito com o competente comprovante de habilitação. 

Dércio Gomes dos Santos, da Auto Escola Santo Antonio explica que durante muitos anos, os sacramentanos tinham que procurar outras cidades para tirar carteira de motorista, mas hoje, parte do procedimento acontece em Sacramento. “O psicotécnico e exame de vista são em Araxá, as aulas obrigatórias e o exame de rua  são feitos aqui. Isso facilita muitos para  os alunos', diz.

Para chegar ao exame de rua, obrigatoriamente, os alunos têm que fazer 30 horas de aulas teóricas e 15 horas de aulas práticas na rua. Isso até o final de dezembro, porque  a partir de janeiro serão 45 horas de aulas teóricas e 20 de práticas.

 

Rogério Garcia Durval, da Auto Escola Roger, reconhecendo que o exame na cidade facilita para todos, informa que o índice de aproveitamento por exame não é bom, gira em torno de  20% a 30% de aprovação. “O exame de rua é muito rigoroso, há alunos excelentes, que são reprovados, são erros mínimos, mas que acarretam a reprovação”, diz. Rogério atribui o baixo índice  de aprovação a vários fatores, o primeiro deles, o rigor do exame, depois vem o nervosismo e o medo.

 

Lei de renegociação das dívidas agrícolas

O presidente da República sancionou na quinta-feira, 18,  a Lei 11.775/08, que institui medidas de estímulo à liquidação ou regularização de dívidas do crédito rural. Fruto da medida provisória (MP) 432/08, a matéria, amplamente discutida entre o Legislativo e o Executivo, visa regularizar a situação financeira do setor rural e criar condições para os produtores liquidarem seus débitos.  

Com a sanção,  os agricultores têm até o dia 30 de setembro para manifestarem aos agentes financeiros, interesse em renegociar os débitos incluídos nos programas de investimentos, securitização, Pesa, Pronaf e crédito fundiário. 

Para as pendências incluídas em Dívida Ativa da União – DAU,  o prazo de reembolso foi elevado de cinco para 10 anos e a multa de 20% para inscrição no Cadin foi retirada. Além disso, o produtor que deseja liquidar essa operação tem até o dia 30 de junho de 2009 para pagar ou alongar o saldo ajustado, beneficiando-se de bônus que variam de 33% a 70%. No entanto, a taxa de juros que tinha sido modificada de Selic para TJLP, foi vetada pelo governo, passando a valer a norma do Cadin determinada pela lei 10.522 – Selic mais 1% ao ano.  As regras para pagamentos dos contratos de investimentos e de custeios foram regulamentadas pela resolução 3.597, de 29 de agosto de 2008.