Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Casas do Jardim Primavera tinham área de 50 m2

Edição nº 1119 - 21 Setembro de 2008

O projeto original das unidades habitacionais do Jardim Primavera, que nasceu com o nome de Cajuru II era bem diferente do que foi construído. As casas seriam construídas com tijolos ecológicos, com área de 50,26 m2, (6,66 m2 a mais de área do que as casas do Cajuru I, que medem 43,60 m2), com terreno de 12 x 15 m (180 m2), com uma distância de seis metros entre uma casa e outra, possibilitando a construção de uma futura garagem. 

Em nota à imprensa, divulgada esta semana pela jornalista, Gê Alves, a Prefeitura informou que, a diminuição da área das casas ocorreu por determinação do Ministério Público. “O Ministério Público foi procurado e elaborado projeto de adequação da área compatível com a questão ambiental” – informou, afirmando que também a Caixa Econômica aprovou a redução de 11,7 m2 da área da casa, que passou a ter com a alteração, apenas 38,73 m2. Também o terreno caiu de 180 m2 para 126 m2, isto é, 54 m2 a menos. Com isso, caiu também a diferença entre um imóvel e outro, de 6 metros para 2,25 m, ficando impossível a construção de um abrigo para carro. 

O Ministério Público e a CEF jamais deveriam ter aprovado a redução das casas. O correto seria diminuir o número de unidades naquele local, preservando as áreas originais e construir as demais noutro terreno.

O novo contrato, assinado pelos moradores, ocorreu em reunião realizada no Centro Administrativo, em maio de 2006, quando foram alteradas as áreas das casas e do terreno, do engenheiro responsável, o nome do residencial e do prefeito.