Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1771 - 26 de Março de 2021

Funcionários da Emater fazem prestação de contas na CMS

Edição nº 1461 - 17 Abril 2015

Os funcionários da Emater, agrônomo Roberto Carlos Mendes Filho e o técnico Alisson Rodrigues de Jesus Souza usaram a tribuna da Câmara Municipal de Sacramento, na reunião do último dia 6, para uma prestação de contas do trabalho realizado em 2014, atendendo requerimento do vereador Marcio Luiz de Freitas, o Marzola. 

Como ocorre sempre na tribuna livre, os técnicos tiveram (pasmem, leitores!) exíguos dez minutos para a explanação de um ano de trabalho no município, o suficiente apenas para mostrar aos vereadores o resumo de um trabalho lavrado em extenso relatório da principal atividade econômica do município, a agropecuária. 

Marzola convidou os engenheiros porque, segundo ele, o prefeito Bruno Cordeiro está restringindo a atuação da Emater do município com a diminuição do valor do convênio com a Prefeitura, o que está provocando a transferência de seu engenheiro agrônomo. “Se dois funcionários eram pouco para atuar numa área de mais de 3 mil Km², imagine um técnico apenas”, argumentou ao falar sobre a reunião.

Há quase dez anos no município, de um período de 44 anos prestando serviço à classe rural, em especial aos pequenos produtores, Roberto e Álisson são os continuadores de um grande trabalho que começou com Alberto Moreno, em 1971, no governo de José Alberto Bernardes Borges, responsável pela presença da empresa no município, naquela época, denominada ACAR. 

Em 1974,  o serviço de extensão foi estatizado, com a criação da Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Embrater), responsável pela coordenação de todas as Emateres, empresas públicas estaduais vinculadas às Secretarias de Agricultura dos Estados, criadas em substituição às ACARes. Hoje, a Emater está presente em 789 municípios mineiros  (92%). 

 

Em 2012, PIB do município foi de R$ 694,2 milhões

De acordo com os dados apresentados na CMS, a atividade agropecuária se destaca no município pela sua importância social, econômica e ambiental, contribuindo de forma expressiva para a criação de oportunidades de trabalho e renda. Dentre os principais produtos de relevância econômica no município foram apresentados o leite, soja, milho, batata e cana de açúcar. 

Veja os dados de 2014, de acordo com os engenheiros, um ano atípico, devido a intensa seca no município:

Leite: 52.172 litros/dia (área, 36 mil ha)

Soja: 58.800 t (área. 28 mil ha) 

Milho: 175.950 t (área 23 mil ha) 

Batata: 140.000 t (área, 3.500 ha), 

Cana de açúcar: 1.200.000 t (área, 15 mil ha)

Roberto e Álison esclareceram aos vereadores e demais presentes, que 2014 foi um ano atípico devido á longa estiagem, o que levou a uma queda na produção de modo geral. Segundo dados do IBGE, em 2012, o Produto Interno Bruto do Município (PIB) foi de R$ 694.241.000,00. Deste total, o segmento agropecuário participa com R$ 268.601.000, 00, o que equivale a 41,14%. 

Segundo ainda os Roberto e Alison, o serviço de assistência técnica e extensão rural no município, se dá através de parcerias com a Prefeitura, Câmara, governos estadual e federal, Conselho Municipal de  Desenvolvimento Rural, Sindicato dos Produtores Rurais, Banco do Brasil, ABCZ, Sicoob, os dois laticínios Scala e Jussara e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

“- Os programas e projetos implementados pela Emater de forma integrada, refletem o trabalho cooperativo e o compromisso dessas instituições com o atendimento às necessidades do público beneficiário e investimentos nas potencialidades locais”.  E, dada a diversidade de público rural e urbano, os serviços de assistência técnica e extensão rural  foram direcionados para a agricultura familiar”, explicaram. 

Conforme os dados apresentados referentes ao ano de 2014, foram atendidos 472 agricultores familiares; elaborados e aprovados 61 projetos de contratação de crédito, no valor de R$ 4.308.682,74; 72 cadastros de limite de crédito, 188 recomendações de análise de solo; 54 assistências  técnicas no programa do café; dentre outros (Confira o resumo dos resultados abaixo).  

Além deste trabalho com os agricultores, a Emater defende os interesses do município em diferentes formas de organização de âmbito municipal e regional, como os programas de certificação do Queijo Minas Artesanal e do Café, além da articulação para a participação de agricultores locais em eventos como concurso regional de queijos e café e no Pró Genética. Destaque-se ainda que em 2014, foi criada a Associação dos produtores Rurais da Gameleira e Boa Vista com o intuito de promover a organização da comunidade, para a participação em políticas públicas.

Para Marzola, o trabalho da Emater é imprescindível no município, não havendo justificativa alguma plausível capaz de reduzir pela metade a subvenção repassada àquela empresa. “Não podemos aceitar que, num orçamento de quase R$ 100 milhões, por conta de pouco mais de R$ 50 mil vamos perder um engenheiro que presta suporte a centenas de pequenos produtores rurais que revertem para o município 16 vezes mais do que o investimento da Prefeitura. Não há justificativa plausível para um município quase que essencialmente agropecuário”, afirmou ao ET, em entrevista.  

 

R$ 4,5 milhões investidos em projetos

Através da interveniência da Emater, foram captados para o município, de acordo com projetos elaborados pelos técnicos, R$ 4.308.682,74 e mais o ICMS Solidário (Lei Robin Hood), no valor de R$ 211.248,66, totalizando R$ 4.519.931,40. 

Roberto e Alisson demonstraram aos vereadores que, para cada R$ 1,00 aplicado pela Prefeitura nos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), prestados pela Emater no município, foram revertidos R$ 39,10 para o município.  Em 2013 e 2014, conforme tabela de subvenções, a PMS destinou à Emater, R$ 109.402,30; em 2015, o valor caiu para a metade, R$ 54.500,00. 

A redução no repasse da PMS para a Emater gerou especulação nas redes sociais, sobre a possível perda de um dos funcionários. O advogado Thiago Scalon postou na segunda-feira 6, logo após a reunião em que os técnicos prestavam contas: 

“Há uma grande possibilidade de perdermos um dos servidores, já que estão cortando o investimento, o que inviabiliza sua manutenção no município pelo órgão. Por que cortar um investimento sustentável e que sobretudo dá resultados?”. 

 

Confira os comentários na coluna De Olho na Rede.

 

Resultados das ações da Emater no município em 2014

Público atendido (sem repetir): Agricultores familiares  472. 

Crédito Rural: Declarações de aptidão 122; projetos de crédito/Pronaf  60; de crédito Pronamp/ABC – 1; de crédito contratados – 61 (R$ 4.308.682,74)

Programa Certifica Café: Propriedades participantes  5; certificadas 5.

Programa Minas Leite: Propriedades cadastradas e acompanhadas como unidades de experimentação 5.

Pró-Genética: Agricultores assistidos 5; agricultores participantes em feiras de touros  30.

Programa Queijo Minas Artesanal: Produtores assistidos 6; queijarias castradas no IMA 5. produtores participantes em concursos 3.

Convênios Embrapa Café: Produtores assistidos 18; Nº de assistências técnicas realizadas 54.

Preservação e Conservação Ambiental: Agricultores orientados sobre conservação de solo e água 31; agricultores orientados em produção agroecológica 30.

 

Outros: Laudos de adubação e correção de solo 188; Elaboração de cadastro de limite de crédito (Banco do Brasil) 72.

 

A culpa está na queda da arrecadação

Através de emeio ao prefeito Bruno Scalon Cordeiro, o ET perguntou os motivos da redução do convênio com a Emater, causando a transferência do engenheiro agrônomo, Roberto Carlos Mendes Filho. Através de sua assessoria de imprensa, o prefeito respondeu o seguinte: “A empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) presta um ótimo trabalho no município de Sacramento. No entanto, a Empresa é auto-sustentável e a subvenção municipal só completa uma pequena parte. 

Com a queda vertiginosa na arrecadação, há que se cortar despesas. Com isso, o serviço prestado pela Emater ficará com um funcionário. No entanto, a administração municipal reitera que o atendimento ao produtor rural será realizado por técnicos, em número de dois, que continuarão prestando seus inestimáveis serviços ao município”.

Primeira foto Major Fernando Marcos dos Reis Comandante do 37º BPM/MG de ARAXÁ com placa de prata entregue pela Coordenadora do Comissariado Luzia Maria do Nascimento 

e com os demais comissários Antônio Anselmo da Costa Filho (TONINHO) Fabíola Vieira Gomides 

que não pertence mais ao quadro de comissários e Wanderley Ramalho.

Durantes estes 14 anos do comissariado eu e dona Luizia somos os comissários que nunca se afastou 

 

das atividades mesmo com todas as dificuldades.