Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Serra da Canastra em chamas

Edição nº 1530 - 12 de agosto de 2016

No Parque Nacional da Serra do Canastra, em São Roque de Minas, na região Centro-Oeste do Estao, segue o combate às chamas que destroem grande parte do local desde a última quarta-feira (3), sendo que, nesta terça-feira, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) divulgou nessa terça-feira (9), um balanço parcial com a estimativa de que pelo menos 12 mil hectares já foram destruídos.
Nessa terça-feira (9),  42 brigadistas do Instituto, 15 bombeiros militares do Governo do Estado, 15  bombeiros de Uberaba e voluntários continuavam atuando no combate ao incêndio florestal. Além disso, um helicóptero da Polícia Militar, cedido pelo governo estadual, e oito veículos ajudam no transporte do pessoal. Também estava prevista, para essa terça-feira,  a chegada, ainda de dois aviões 'air tractor' (que jogam água sobre a vegetação em chamas) para reforçar o combate.
De acordo com o  ICMBio, o fogo ocorre em dois locais: na bacia do rio Santo Antônio (área não regularizada) e na região de Zagaia (em frente à portaria 3) e a  dificuldade de acesso aos locais de incêndio, impede a chegada das tropas em alguns pontos, além disso, o tempo seco e os ventos fortes contribuem para a propagação das chamas e atrapalham o trabalho dos brigadistas.
Esse é o segundo incêndio registrado na Serra da Canastra em menos de um mês. Desta vez, as chamas chegaram ao ponto de maior conservação do parque. Para chefe do Parque Nacional,  Fernando Tizianel, além do prejuízo ambiental, o custo no combate do incêndio, que é criminoso e intencional, é alto e toda a população acaba arcando com o problema.
"São incêndios criminosos porque o fogo natural vem principalmente de raios, o que não é o caso nesta época do ano. Além disso, o fogo teve início ao longo da estrada de acesso ao parque. Todos os anos nós combatemos este tipo de comportamento, mas é preciso reforçar que além de prejudicar o meio ambiente, prejudica o bolso da sociedade devido o alto custo para combater as chamas", finalizou.