Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Devota, Sacramento homenageia a Padroeira do Brasil

Edição nº 1592 - 13 de Outubro de 2017

Da Procissão das Velas, com mais de mil devotos em caminhada até a Gruta dos Palhares, segundo a coordenação do evento, à Procissão Fluvial e Missa Campal na estação do Cipó, nesse 12 de outubro, Sacramento, em especial a comunidade católica, viveu um intenso momento de fé, na celebração do tricentenário do aparecimento da imagem de Na. Sra. Aparecida. Dia bendito de gratidão e júbilo pelos 300 anos de bênçãos e de graças da Mãe Aparecida, saída das águas para o coração dos brasileiros.

Em Sacramento, a festa começou no sábado  com a carreata pelas ruas da cidade, pela manhã e às 18h, a procissão das Velas. E nesta quinta, a já tradicional Procissão Fluvial no rio Grande, seguida da missa, às 10h, na estação do Cipó, este ano, sob quatro tendas instaladas no local para abrigar a multidão presente que acorre aos pés de Nossa Senhora para pedir e agradecer graças. Pessoas de todas as idades, homens, mulheres, jovens, famílias inteiras. A maioria faz o trajeto de carro, mas alguns vão caminhando os 15 quilômetros que separam a estação da cidade; outros de bicicleta, como o trio de ciclistas conquistense, Ayr, Diogo e Arthur, unindo a fé, devoção e o pedal.

  Não importa como, mas todos chegam, em tempo de participar da missa, este ano,  presidida pelo pároco, padre Jaime Ribeiro e concelebrada por padre Edney e mais de 500 devotos.

 Na homilia, padre Jaime, que participou da festa pela primeira vez, depois de refletir sobre as leituras e Evangelho do dia, falou da emoção que sentiu em poder realizar a festa. “Começou no sábado, com aquela procissão das Velas e olha só se o padre não tiver esse sentimento de gratidão a Deus para não se emocionar e hoje nessa procissão, só se formos insensíveis para não percebermos a bondade de Deus  e fé bonita de todos vocês, essa fé que nos leva a Deus”. 

Referindo-se ao evangelho do dia, a passagem das Bodas de Caná (Jo 2,1-11) pregou que “Deus nos quer juntos, nos respeitando. Como Nossa Senhora pensou naqueles noivos e convidados, ela pensa em nós. Basta que confiemos que a intercessão dela chega ao céu”.

 Destaque-se a Folia de Nossa Senhora Aparecida, comandada pelo capitão José do Carmo  Martins, que fez a cantoria e recitação de versos para o povo que aguardava na tenda a chegada  da imagem. 

A festa encerrou-se com o agradecimento do coordenador Amir Salomão Jacób, indicado pelo pároco, feito, desde à empresa doadora das camisetas, o apoio da Prefeitura na logística e infraestrutura do local aos pequenos trabalhos de dezenas de voluntários. Finalizando fez um pedido ao prefeito Wesley De Santi de Melo, presente na celebração.

“- Essa festa começou com você e comigo, quando ganhamos a imagem do Santuário para as comemorações dos 190 anos de Sacramento. E quero fazer um pedido, que você consiga, para o ano que vem, trazer o asfalto até aqui para nós”, pediu.

 

O Brasil precisa de orações...

Dentre os peregrinos na Procissão das Velas, o prefeito Wesley De Santi que, em 2009 recebeu das mãos dos redentoristas no Santuário Nacional, a imagem facsimile, doada à cidade. Já se vão nove anos e, pela primeira vez, participa da procissão. “Sempre tive vontade de participar, mas esta foi a primeira vez que deu certo. Para nós, católicos e devotos, é importante essa unidade, estar junto com a população manifestando a nossa fé e precisamos rezar. O mundo precisa de orações, o Brasil precisa de orações, nós precisamos de orações, por isso aqui estamos, meu filho Miguel e eu”.

 A jovem Karla e o pai, Carlos Humberto Bizinoto, também fizeram a caminhada pela primeira vez. “Vim pra rezar, agradecer pela vida, a família, os amigos”, afirma a filha, seguida de Carlinhos, que completa: “Por muitos anos fiz o percurso de 12 km, mas ia  no carro de som e este ano surgiu a oportunidade de fazer essa caminhada da fé. Que essa seja a primeira de muitas”.

 A romeira Arlete, que há seis anos faz a peregrinação, caminhando ao lado do amigo Marinho Borges, destacou o que a move para a caminhada. “A gente pede o ano inteiro sua intercessão, sempre pedindo e ela, a Mãe, sempre e ela, nos ajudando demais. Ela não cansa de nós, e nós não nos cansamos dela. É o momento de agradecer”. 

 

Devoção a Nossa Senhora cresce a cada ano

Sacramento sempre cultivou um carinho muito especial à Na. Sra. Aparecida. Anualmente, são feitas várias romarias ao Santuário Nacional. A devoção vem crescendo a cada ano. Nos últimos nove anos, devotos de Nossa Senhora Aparecida, em especial, pescadores, barqueiros e proprietários de lanchas participam de uma Procissão Fluvial coordenada pela Paróquia do Santíssimo Sacramento, entre duas históricas estações ferroviárias, a de Jaguara e Sacramento, mais conhecida por Cipó. 
Neste ano da celebração dos 300 anos em que a imagenzinha milagrosa foi pescada no rio Paraíba, as festividades iniciaram-se na manhã do último sábado 6, com uma carreata pelas ruas da cidade, levando à frente uma imagem facsimile de Nossa Senhora Aparecida doada à cidade pelo Santuário Nacional, a pedido do devoto, Amir Salomão Jacób, então secretário de Cultura do atual prefeito Wesley De Santi de Melo. 
No mesmo dia, às 18h, mais de mil fiéis, segundo a coordenação, participaram da Procissão das Velas, numa caminhada de 12 quilômetros até a Gruta dos Palhares.  E, na manhã dessa quinta-feira, a Procissão Fluvial pelo rio Grande, com missa campal na estação do Cipó. 
A Procissão das Velas a cada ano ganha mais adeptos. Homens e mulheres, jovens e idosos e até crianças, enfim gente de todas as idades mostrando a sua devoção, seguindo a imagem que ia à frente, “como filhos e filhas que seguem a mãe”, como bem lembrou o pároco Pe. Jaime, que organizou a festa pela primeira vez. 
Crianças recebem homenagens pelo seu dia
 Dia 12 de outubro, Dia de festa para as crianças, elas que desde o início se tornaram as prediletas de Jesus, quando disse “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”. Bem mais tarde, Rabindranath Tagore, (1861/1941), indiano de Calcutá, escreveu “Cada crianças que nasce, nos traz a mensagem de que Deus ainda não perdeu  a esperança nos homens”. 
E festas não faltaram por toda a  cidade, com direito a presentes, guloseimas, brincadeiras, alegria plena, como na festa da Tetê, uma das mais tradicionais da cidade, que a cada ano reúne mais e mais crianças e os altinhos, papais e mamães, afinal todos têm o seu lado criança e,  depois da reza do terço, todos se deliciam com o almoço, bolo, refrigerante, doces e balas...
Uma delas foi a Festa Amigos das Crianças  preparada pela  família de Lucimar de Oliveira. Suas filhas, Leidmar Cristina e Vivane; seu irmão Moacir de Oliveira com a esposa Juscelém.
A festa foi realizada no Ginásio de Esportes Joércio de Oliveira, no bairro Maria Rosa, graças a doações de moradores do bairro, que renderam 1.800 pãezinhos com carne e sete grandes bolos, além de pipoca, refrigerante, algodão-doce, balas...
De acordo com Lucimar, há 12 anos, eles faziam a festa no bairro Santo Antonio e como mudaram de endereço, para o bairro Maria Rosa, mudaram também o local da festa. “A festa foi muito boa, só resta agradecer aos moradores do bairro que atenderam ao nosso pedido.  Todo o bairro colaborou muito. A participação foi muito boa também, pois mais de 400 crianças passaram pelo local”, afirma. 
Além das delícias, houve varais atividades, apresentações de danças, palhaços, gincanas e muita música. De acordo com as filhas Cristina e Viviane, a mãe foi quem  teve a iniciativa há mais de dez anos... Éramos criancinhas, hoje  já estamos assumindo a festaqe esperamos passar para nossos filhos”, afirmam.