Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Produto mata-mato não prejudica meio-ambiente

Edição n° 1198 - 26 Março 2010

Operários da Prefeitura estão trabalhando nas ruas da cidade, fazendo uma verdadeira operação limpeza para combater as ervas daninhas. Como o produto é jogado no mato, que cresce entre as pedras, das ruas e sarjetas, pessoas ligaram ao jornal questionando a sua toxidade. A informação obtida pelo ET, junto ao responsável pelo Departamento de Limpeza Urbana, Cândido Clementino da Silva, é de que o produto não é tóxico nem é prejudicial ao meio ambiente.

“O objetivo do mata-mato – segundo Clementino - é combater esse mato que nasce nas ruas, principalmente nas sarjetas e entre as pedras do calçamento, para evitar a ancoração de terra quando chove e depois dá poeira. A cidade estando capinada, a água flui normal e conserva as ruas limpas. Fazer esse serviço com a enxada, além de aumentar o custo, sempre fica algum mato. O mata- mato não é prejudicial ao meio ambiente, ele é próprio para esse tipo de serviço e é mais viável tanto economicamente quanto no asseio, além de não mexer com a estrutura do calçamento ou do asfalto”. 

A aplicação do  mata-mato exige o uso de equipamentos visto o contato direto por muito tempo com o veneno.  “O IPI exige  e as próprias empresas orientam para o uso do macacão impermeável, óculos, proteção na cabeça, calçado apropriado, não que o produto seja tóxico, é mais como garantia  da saúde do funcionário, que passa horas manuseando o produto”, explicou Clementino.

A prefeitura gasta, normalmente, dependendo da intensidade das chuvas, até 100 galões de 20 litros do produto, que é adicionado na água para ser aplicado. “A porcentagem de dosagem para a aplicação é um pouco superior á da aplicação nas lavouras, em média 250 a 300 ml por galão”, disse.

Mas o serviço de enxada ainda não está descartado, ainda é muito usado em algumas circunstâncias.  “Quando há assoreamento no meio fio, se houver muita terra, aí tem que ser na enxada, mesmo. Agora a capina das ruas, praticamente acabou, capinar, por exemplo, danifica o asfalto”, afirma.