Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Maria reabre feira orgânica

Edição nº 1585 - 25 de Agosto de 2017

Maria Aparecida Martins (Maria da Feira), pioneira na feira de hortifrutigranjeiros em Sacramento, depois de um tempo ausente, está de volta com sua banca no endereço de sempre, no início da rua Joaquim Murtinho, ao lado do CRES Antônio Júlio. Mas agora com uma grande novidade, todos os produtos são agroecológicos, também chamados de orgânicos, absolutamente, sem nenhum tipo de agrotóxico.

 Presidenta da Rede Brota Cerrado desde janeiro, Maria explica que nessa nova fase da Feirinha ela passou a funcionar três dias na semana, às segundas, quintas e sábados, pela manhã. “É uma feira de produtos agroecológicos, alimentos orgânicos vindos de cinco propriedades do município todos associados à Rede Brota Cerrado, com certificados fornecidos pelo Ministério da Agricultura (MAPA), cujos dados podem ser consultados no sistema do Ministério. Além dessa constatação, os produtores colocam suas propriedades à visitação pública, para ver como tudo funciona”, afirma.

 Para Maria é uma felicidade poder oferecer à cidade, produtos de qualidade diferenciada. “É um prazer poder trazer produtos de qualidade nutricional diferenciada aos consumidores, especialmente por estarem livres de agrotóxicos, produtos que fazem mal à saúde”, alerta. 

Maria retornou com a feira há cerca de um mês, mas agora veio para ficar, oferecendo verduras e frutas para os mais diversos paladares: alfaces, couve, chicória, temperos diversos, abobrinhas, abacaxis, bananas diversas e até o umbigo de bananeira, limão china ou limão-cravo, considerado um dos melhores e mais saudáveis para o consumo, seja em suco ou em água pura.

 De acordo com Maria, ela começou a dedicar-se a produtos agroecológicos em 2013, através da Rede Eco Vidas, de Santa Catarina, onde passou uma pequena temporada, que conta hoje com três mil produtores agroecológicos, cujos, alguns dos produtos, são comercializados na feira, tais como sucos, molhos diversos, polpas de frutas, maçãs, melados, dentre outros produtos, todos certificados.

  Falando sobre os preços, Maria explica que os preços praticados são os mesmos dos mercados e varejões convencionais. “Por serem produtos diferenciados e livres de agrotóxicos, os preços poderiam custar até um pouco mais, mas optamos por praticar os mesmos preços do comércio hortifrúti local”, informa.

A Rede Brota Cerrado alia ao seu trabalho de produção de alimentos orgânicos a produção artística e cultural, em seu sentido mais abrangente. “Carolina Maria de Jesus é exemplo de uma mulher que trabalhou na roça produzindo esse tipo de alimento e escrevendo seus livros, que todos conhecem, mas temos muito mais ainda a valorizar e difundir, na pessoa do produtor rural, esse trabalhador que põe a comida na mesa do brasileiro, valorizar os artesãos e o artesanato, o meio ambiente, o valor da natureza... É assim que se educa e se ensina as pessoas sobre nossos valores”, frisou Maria. 

 A diretoria da Rede Brotas Cerrado é formada, além da presidenta Maria Aparecida Martins, pelos membros, Antonio Donizete, Álvaro Reis, Joana Magnabosco e, Maria de Fátima Fajardo Archanjo, que é a coordenadora da Rede.