Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

A Deus, Iraci Miguel

Edição nº 1584 - 18 de Agosto de 2017

O  Alto da Gameleira, o  Treze de Maio, a comunidade de Nossa Senhora da Abadia, a família Miguel e toda a cidade estão de luto pela perda de Iraci Maria Miguel (foto) 61, que morreu vítima de embolia pulmonar, às 13h30, dessa quarta-feira 16, no Hospital Escola, em Uberaba, onde permaneceu internada por 15 dias. 

De acordo com a irmã, Maria do Carmo,  no último mês, até ser levada para Uberaba, Iraci esteve internada em Sacramento, por cerca de 20 dias. “Ela ficava internada, saia, voltava até que teve que ir para Uberaba e lá ficou internada 15 dias”, informa.  

O corpo de Iracy foi trasladado para Sacramento e velado na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Abadia, onde sempre foi muito atuante nas diversas  pastorais e como catequista e ministra da Eucaristia. 

Iraci foi sepultada às 10h da manhã dessa quinta-feira, após missa de corpo presente e exéquias concelebradas pelo pároco, Pe. Antônio Carlos Santos e os padres,  Eduardo Ferreira  e Otair Cardoso. 

Iraci era filha de João Miguel  do Patrocínio e de Altiva dos Santos Miguel (Dona Néia), nasceu  e cresceu ali no Alto da Gameleira ao lados dos irmãos, seis dos quais  ainda vivos: Benedito (Rochedo), as gêmeas Maria das Graças e Maria do Carmo (a baiana Maria), Sebastião, Hébio e Luciano. 

Iraci deixou sua marca por onde passou, conquistando a todos, seja na Escola Maria Crema, onde trabalhou desde que iniciou no Alto da Gameleira e até findar suas atividades, seja nas ruas da cidade no ir e vir para o trabalho, à igreja ou a passeio, seja na ala das baianas,  na comissão de frente, na ala da velha guarda ou, simplesmente, assistindo aos desfiles  da escola do coração, a verde e branco 13 de Maio. A escola 13 de Maio era, sim, sua grande paixão e por ela era até capaz de brigar...

Iraci era uma mulher engajada, participou de diretorias de entidades, uma delas, a do Lar São Vicente de Paulo e foi uma grande apoiadora da criação do Movimento Comunidade Identidade Negra (CIN), tornando-se membro da diretoria fundadora. 

Para os irmãos, era a irmã zelosa, conselheira e sempre pronta a servir; para os sobrinhos,  a tia querida e para os amigos e conhecidos, era a Iraci Miguel, a mulher de riso aberto, gargalhadas gostosas, que foi homenageada coma Moção de Congratulação Carolina Maria de Jesus, em 2014, pelo ex-prefeito Bruno Scalon Cordei4ro. Iraci deixa um grande legado, uma história de vida e de trabalho. Fica a saudade!!!