Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Pequenas empresas terão maior acesso a crédito orientado

Edição nº 1532 - 26 Agosto de 2016

BDMG e Sebrae Minas lançam programa para aprimorar a gestão financeira do segmento e reduzir riscos das operações, o que vai beneficiar mais de 80% das micro e pequenas empresas mineiras (MPE) que  têm como principal fonte de crédito produtos financeiros com altas taxas de juros. Para se ter uma ideia, 56% delas utilizam o cartão de crédito e o cheque especial para fazer frente às despesas.
Os dados, da Pesquisa de Relacionamento Bancário do Sebrae Minas, confirmam que a falta de gestão financeira é um problema real, que afeta a maioria dos pequenos negócios brasileiros. Para aprimorar o planejamento das finanças das MPE e reduzir os riscos das operações de crédito para o segmento, o BDMG e o Sebrae Minas lançaram, nessa segunda-feira (22/8), o Programa Crédito Orientado.
A primeira etapa do programa prevê a capacitação dos cerca de 300 correspondentes bancários do BDMG. Eles serão preparados para oferecer orientação gerencial às MPE que já são clientes ou buscarem crédito na instituição.
Segundo  o Sebrae,  Minas Gerais tem cerca de 1,3 milhão de negócios de pequeno porte, o equivalente a 99% da força produtiva do estado, responsável por 55% dos empregos formais. Segundo o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae, Olavo Machado, a parceria com o BDMG amplia a rede de orientação especializada ao segmento no estado. “Não é só uma questão de conceder crédito, mas capacitar o empresário para ele tenha uma gestão financeira profissional”, ressalta.
De acordo com o presidente do BDMG, Marco Aurélio Crocco, de janeiro de 2015 a junho de 2016, o banco liberou R$ 381 milhões em crédito. “As MPE têm papel fundamental na geração de renda e no desenvolvimento regional. Com esta parceria ampliamos nossa atuação como agentes de crédito. Passamos também a atuar no processo de gestão do negócio de nossos clientes”, diz.
Uma das preocupações do Sebrae é que o crédito seja uma ferramenta para o desenvolvimento das MPE e não um fator que contribua para a decadência do negócio. Em pesquisa recente, o Sebrae confirmou que mais de 40% dos pequenos negócios admitem ter “dívidas controladas”.
“O endividamento em si não é ruim, mas se a empresa estiver desorganizada isso certamente pode acelerar uma situação de insolvência ou até de quebra”, frisa o diretor técnico da instituição, Anderson Cabido.
O presidente do BDMG adiantou que o banco tem a intenção de disponibilizar, no médio prazo, linhas diferenciadas, com taxas de juros mais baixas, para as empresas que participarem do Programa Crédito Orientado. “Esperamos que o bom planejamento financeiro seja um elemento que possibilite a melhor composição do custo dos empréstimos para esses clientes”, reforça Crocco.
O Programa Crédito Orientado se divide em duas frentes: a capacitação dos Correspondentes Bancários BDMG (CBs), que atuam em todo o estado; e a geração de conteúdo direto para as micro e pequenas empresas (MPE), por meio dos serviços e informações do Sebrae Minas, incluindo ferramentas digitais.