Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Mês Cultural Scala valoriza artistas da terra

Edição nº 1588 - 15 de Setembro de 2017

O palco do Mês Cultural Scala, realizado na cidade pela Tri Ciclo Espetáculos foi dos sacramentanos, na segunda noite de eventos, realizada dia 8 de setembro, na praça do Rosário. 

A banda Lira do Borá, regida pelo maestro Paulo Constâncio Jr, abriu o espetáculo com belas páginas do cancioneiro popular, seguida pela jovem dupla sertaneja, Paulo e Guilherme, e o ... mostrando um repertório bem eclético do gênero; Banda Broots, formada por dois grandes talentos, Ivan Luiz e Rick Teodoro, dando um show de blues, com abertura do poeta José Belisário; os roqueiros da Banda Zé Herley deram também um show entre o rock e a MPB e o fechamento, com chave de ouro, ficou por conta das alunas do Studio Corpo em Movimento, da Profa. Maria Amélia Pacheco, Janaína Fonseca fez um solo belíssimo e Isabela, Camila e Keila, também arrasaram na dança do ventre. 

Todas as apresentações foram acompanhadas por um grande público das mais variadas idades, que teve a oportunidade de conhecer e aplaudir os artistas da terra, que consideraram altamente positiva a iniciativa de valorizar os talentos das terras do Borá. 

Para Ivan Luiz Gomes, da banda Broots, o mês cultural Scala é fantástico. “Traz cultura, educação, música de qualidade pelo quarto ano consecutivo e a população sacramentana só tem a agradecer, porque estamos sedentos de eventos culturais, sedento da boa arte ao ar livre. E eu, particularmente só tenho a agradecer pelo espaço, pelo apoio e o carinho que tenho da população de Sacramento que me recebeu bem. Agradecer ao Scala e ao Tri Ciclo que nos propiciam estes momentos”.

Para Maria Amélia Pacheco Borges, a participação do Studio no Mês Cultural Scala é uma grande oportunidade de apresentar ao público,  a arte que Sacramento produz. “O grupo existe há bastante tempo e já temos dançarinas trilhando o seu caminho, sozinhas, como a Janaína Fonseca que dançou solo. As alunas, Isabela, Camila e Keila apresentaram as tradicionais danças árabes nos estilos moderno e clássico”. 

O trabalho de apoio aos espetáculos vem sendo dado por funcionários do Laticínio Scala, integrantes como voluntários do Comitê de Responsabilidade Social, que se revezam nas apresentações. “É um prazer participar destes eventos, estar aqui na praça para mim é uma alegria, poder compartilhar da beleza de cada espetáculo em cena, como sentir também a elegria do público”, disse o engenheiro Erick Falconi. Já Assistente Adm. de Contabilidade, Natália Cardoso, define o apoio como “algo inexplicável”. E diz mais: “Sinto-me orgulhosa, muito contente, como voluntária e não por uma obrigação da empresa, assim como participo do Comitê nas visitas no Lar de São Vicente”.

A analista de Recursos Humanos da empresa, Hebe Noventa, avalia o Mês Cultural Scala de forma muito positiva e agradece por dar essa contribuição de apoio através do Comitê, que começou tímido e hoje tem quase 100 voluntários. “Um projeto fantástico que tem a finalidade de contribuir com a comunidade para ser um lugar melhor, com mais cultura, mais educação... e nós, apoiando essa causa dignificante, estamos exercendo de forma consciente nossa cidadania”. 

Nesta sexta-feira 15, a terceira noite do Mês Cultural Scala apresenta o Grupo Dançarte, com o tema, “Brasileiríssimas”, espetáculo com coreografias ligadas através de cenas teatrais, mostrando a música brasileira através dos tempos, às 20h, na  Praça Dr. Valadares (Palco da Igreja do Rosário).