Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Esse golpe se torna indestrutível

Edição nº 1590 - 29 de Setembro de 2017

A empresa do povo brasileiro, a Petrobras, se aliou a americana Exxon, a maior empresa de petróleo do mundo, para explorar áreas adjacentes do Pré-Sal que pertence ao povo brasileiro.

 A Petrobras filiou a Exxol para explorar uma área do Pré-Sal adjacente ao Pré-Sal que era da Petrobras já explora em nome do povo brasileiro e arrematou, em leilão realizado ontem, quarta-feira, 10 áreas próximas ao Pré-Sal, por uma mixaria, correspondente a um bilhão de dólares, o que é uma mixaria para um valor dessas 10 áreas, mais o equivalente a 3 bilhões de reais, o que é muito importante para tampar o rombo do Meirelles. 

Como são áreas vizinhas ao Pré-Sal, se não tivesse havido o golpe, as áreas teriam que ser exploradas pela Petrobras do povo brasileiro, numa área que pertencente ao povo brasileiro. Porque corremos o risco dessas áreas serem tão ricas quanto é o Pré-Sal. Estão ali, uma ao lado da outra, e, portanto, nós vamos entregar o filé mignon à maior empresa de petróleo do mundo, a americana Exxon. Só isso.

Um outro leilão, também realizado ontem, o das usinas hidrelétricas da Cemig, chineses, franceses e italianos  se apropriaram de  hidrelétricas que são/eram joias da coroa  da Cemig. Ou seja, a geração de energia elétrica brasileira, cada vez  mais, fica em mãos estrangeiras. Do ponto de vista desse governo do 'quadrilhão',  que tem 3% de aprovação  do ibope,  esses leilões de ontem foram  extremamente importantes para fechar as portas do déficit público,  e permitir que o governo continue  a trabalhar, única e exclusivamente para pagar os bancos e os rentistas. É pra isso que serve botar dinheiro nas mãos do governo do 'quadrilhão', para os rentistas e para os bancos.

O significado desses leilões de ontem, porém, é muito mais complexo e mais amplo. Eles transcendem a mera contabilidade do golpe, eles significam que a entrega do Brasil aos estrangeiros, especialmente aos americanos e aos americanos da Exxon, que é isso que vai sustentar o golpe, e vai tornar o golpe indestrutível. 

O atual ministro das relações exteriores de Donald Trump era até poucos dias atrás o principal executivo mundial da Exxon. É o Sr. Rex Tillerson. Até agora, a Exxon não tinha vindo explorar nada do pré-sal. Veio agora, só agora, com o apoio da Petrobras, do governo do 'Quadrilhão' e, claro, do Trump. 

E não acaba aí, amigo navegante, amigo expectador, uma notinha escondida em um pé de página do jornal Estadão dá a notícia de que o governo golpista acabou de entregar a base  de Alcântara,  estratégica,  decisiva,  importantíssima,  a melhor do mundo para lançamento de foguetes. O governo do 'Quadrilhão' acaba de entregar a base de Alcântara aos americanos. Nem o lesa-pátria,  Fernando Henrique Cardoso,  conseguiu fazer isso,  por causa da resistência heroica  de brasileiros como Waldir Pires, que era deputado federal  e, no Congresso, impediu a entrega  de Alcântara  aos americanos, no governo Fernando Henrique.

Mas agora, o embaixador dos EUA, que representa o Brasil em Washington, um diplomata de carreira chamado Cesar Amaral,  nomeado para Washington  em servir  aos  EUA pelo chanceler do golpe, José Serra, fez sobre essa entrega  de Alcântara  uma declaração  espantosa. O suposto embaixador brasileiro em Washington disse: Essa doação de Alcântara aos americanos “não passou em nosso Congresso porque,  talvez,  era mais 'intrusivo'... 'intrusivo', que o desejável”. Quer dizer, o Congresso Nacional que, supostamente, representa o povo brasileiro, seria 'intrusivo', atrapalharia os interesses  nacionais americanos.

É preciso aceitar a derrota para entendê-la e saber o que fazer. Esse golpe se torna indestrutível. A essa os americanos venceram. 

                         (Do blog de PHA/internet)