Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

De olho na rede

Edição nº 1397 - 17 Janeiro 2014

Mais de 100 comentários movimentaram os vários canais de comunicação da net neste início de semana. Na berlinda, a Câmara Municipal de Sacramento, que votou uma lei garantindo, a partir de 2013, o 13º salário e o benefício de 1/3 de férias aos seus vereadores, um adicional devido aos trabalhadores. A legalidade do ato é controversa. Até mesmo os tribunais divergem sobre sua constitucionalidade. Mas, como diz o bom mineiro, 'nem tudo que é legal é moral', o bicho pegou. Veja alguns dos comentários. 

Estamos excluindo os posts ofensivos, publicados por alguns internautas.

 

TAMARA RECIDIVE

“O que dizer e pensar do Projeto de Lei nº 69/2013, proposto pelos vereadores, que 'autoriza pagamento de salário trezeno e terço constitucional aos vereadores do Município de Sacramento? (...) Justo? Sim, claro! Se todos fossem trabalhadores como todos os que andam sob a CLT. Melhor dizendo: se trabalhassem oito horas por dia de segunda à sexta (ou sábado), se tirassem férias após um ano de trabalho (e não após seis meses), se cumprissem todas as obrigações de um trabalhador comum. Mas não! Não são trabalhadores comuns. (...)

Agora peço: Provem-me o contrário! Façam-me assumir que estou errada, trabalhando pela cidade, enriquecendo o povo e o município. Não queremos fotos de festinhas, não queremos comendas, honrarias, enfeitezinhos, meia-boca... Queremos escolas, nossas árvores, médicos, empregos, fornecimento de água. Só o que o povo precisa pra viver dignamente”. 

 

LUCAS ALEXANDRE

 “Chega a embrulhar o estomago”.

 

DANIELA SCALON

 “Mas não aprendem mesmo, né? (...) Já não bastasse o salário absurdo que ganham pra comparecerem uma única noite por semana, ainda inventam mais essa maneira de extorquir o povo? 

 

EDSON GOMES MATTOS

 “Agora eu fico me questionando. Onde fica o poder de veto do executivo, recentemente estadualizaram escolas municipais e promoveram a nucleação de outras transferindo crianças para comunidades distantes, causando a revolta dos moradores da zona rural; os moradores estão sem médicos especialistas e faltam remédios nos PSFs; nos bastidores, o prefeito articula a mudança de regime trabalhista para o estatutário, que vai ser um retrocesso para o funcionalismo público municipal... Então, sr. prefeito, onde está a coerência em seus atos?” 

 

DANILO PADOVANI

“Esses vereadores estão achando realmente que são trabalhadores? Que agente político é emprego? Décimo terceiro e férias com adicional de 1/3 constitucional pra quem fica quatro horas por semana em um único dia, se acha no direito de ter Férias? Vereador não é emprego, não é profissão. 

 

MARILÉIA ABADIA A. MARTINS

 “Só reclamar aqui na rede social não basta...o povo deve sair ás ruas em protesto..uma vergonha!! Trabalhador com salário mínimo com aumento de 6% e vereador que "trabalha" uma vez por semana com um bom salário e ainda com 13º... É brincadeira! E servidores municipais sem receber 1/3 de férias... falta de grana, ou melhor , na minha opinião,  falta de planejamento da equipe financeira do nosso prefeito Bruno. Dizem que ele vai renovar seu quadro de assessores. Aguardemos”. 

 

ILIO BORGES

“Já temos os políticos mais caros do mundo, estamos precisando é que baixem esses custos, e vem a Câmara de Sacramento na contramão. Parabéns Tamara, concordo inteiramente contigo!”

 

LUIZ DEVÓS

“Não vou entrar nesta nem a favor e nem contra, os nobres edis devem saber o que fazem para isto foram eleitos. Entretanto deveriam saber que a receita municipal há anos não está correspondendo ao custeios municipais. Provavelmente, a receita deste ano de 2013 será menor que a de 2012. Comparando esses dois anos, somente as usinas hidrelétricas de Jaguara e Estreito repassaram a menos ao caixa municipal, em 2013, R$ 2.300.000,00 de recursos da CFRH, pela não de geração de energia, por falta d'água no rio Grande. 

Ainda mais fará no próximo ano um impacto grande nos repasses do ICMS. É bem provável que o Executivo terá de fazer um ajuste grande nos próximos anos para equacionar a despesa com a receita. Portanto, é hora de rever as contas com cautela...”

 

LEOMAR CÉZAR BRIGAGÃO

Quando um cidadão se candidata a algum cargo político, ele almeja alguns privilégios oferecidos aos eleitos, sejam eles situação ou oposição. Isso acontece em todo o mundo onde a política é atuante. Parece que os nossos fiscais apologéticos da política sacramentana, deviam se candidatar... Elejam-se... Ficar falando por tudo quanto é buraco do corpo não resolve nada! Só blá, blá, blá!! Vejo em tudo isso muita inveja e muita mágoa! ! Em tempo: todos os vereadores dos municípios Brasileiros receberam 13º Salário. Qual é o problema? Haja paciência! Eita! (...) Aqui em Palmas  eles pagam até o 14º salário para os vereadores’’.