Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Crônicas

Declaração da ilegalidade da pobreza ante a ONU

Edição nº 1571 - 19 de Maio de 2017

O aumento escandaloso dos níveis de pobreza no mundo tem suscitado movimentos pela erradicação desta chaga na humanidade.

Fátima, centenário das aparições

Edição nº 1571 - 19 de Maio de 2017

São muitos os relatos de aparições de Maria, a mãe de Jesus, pelo mundo. Mencionamos no momento os 100 anos da aparição Virgem Maria a três pastorinhos na Cova da Iria na região de Fátima em Portugal. 

 O fato se deu em 13 de maio de 1917 na presença de Lucia de Santos (10 anos) Francisco Marto (9 anos) e Jancinto Marto (7 anos). Os dois últimos eram irmãos e primos de Lucia. Narram eles te visto por cinco semana seguidas, sempre no dia 13 do mês. A Virgem aparecia em forma de uma mulher coberta pelo sol, muito brilhante e que se denominava a Mãe do Rosário. 

Haveria solução para a Previdência: cobrar os bilhões sonegados

Edição nº 1570 - 12 de maio de 2017

Em época de austeridade fiscal e de reformas impopulares como a da Previdência, o combate à sonegação, que passa de R$ 400 bilhões ao ano no Brasil, é deixado de lado, escreve Tomás Rigoletto Pernías, doutorando em Desenvolvimento Econômico pelo Instituto de Economia da Unicamp, em artigo publicado por Brasil Debate, 25-04-2017: “Sonegação fiscal, o esporte predileto das elites”. Veja também em IHU de 26 de abril de 2017.

Eis o artigo.

Ser mãe é…

Edição nº 1570 - 12 de maio de 2017

Encontrar o amor pleno, o amor

 incondicional, 

o amor desmedido: ser mãe é viver ao

 mesmo tempo 

no auge da felicidade e da preocupação. 

 

É, em alguns momentos, ter o coração

 inflado 

como um balão e em outros, recordar um

 amor

que nasceu com vocação de eternidade. 

 

Ser mãe é se virar nos 30, dar um jeito, 

fazer o possível e o impossível. 

É ter mil braços, mil pernas e apenas

 uma mente. 

 

Houve um profeta enviado por Deus: Gentileza

Edição nº 1569 - 5 de Maio de 2017

Seguramente, no Rio de Janeiro é por muitos conhecida aquela figura singular, de cabelos longos, barbas brancas, vestindo uma bata alvíssima com apliques cheios de mensagens. Carregava um estandarte na mão, com muitos dizeres em vermelho. A partir dos inícios de 1970 até a sua morte, em 1996, percorria toda a cidade, viajava nas barcas Rio-Niterói, entrava nos trens e ônibus para fazer a sua pregação.

Quem cria os bandidos?

Edição nº 1569 - 5 de Maio de 2017

Nem sempre pensamos nisto, mas a sociedade brasileira está perdendo o controle sobre si mesma. 

Há uma decadência moral difusa. 

As pessoas estão perdendo a noção exata do que é certo e do que é errado. 

Se eu quisesse usar uma expressão religiosa, eu diria que estamos perdendo a noção de pecado. 

Nada mais é pecado. Quero, porém, seguir outro caminho, o caminho da ética. 

Há sempre alguém esperando Godot

Edição nº 1568 - 28 de Abril de 2017

Conheci um homem que fez de tudo na vida. Dizem que foi ateu e marxista e que chegou a ser mercenário da Legião Estrangeira francesa e que atirou contra bmuita gente. De repente se converteu. Fez-se monge sem sair do mundo. Foi trabalhar como estivador. Mas todo o tempo livre dedicava-o à oração e à meditação. Durante o dia recitava mantras: “Jesus, valei-me”. “Jesus, perdoai meus pecados”. “Jesus santificai-me”. “Jesus, fazei-me amigo dos pobres”. “Jesus, fazei-me pobre com os pobres”. 

Quem sabe a culpa é nossa?

Edição nº 1568 - 28 de Abril de 2017

Na década de 40, o Papa Pio XII pronunciou um famoso discurso sobre a Democracia. Afirmou que “era o melhor regime de governo, apesar de seus defeitos”. 

Quem sabe a culpa é nossa?

Edição nº 1568 - 28 de Abril de 2017

Na década de 40, o Papa Pio XII pronunciou um famoso discurso sobre a Democracia. Afirmou que “era o melhor regime de governo, apesar de seus defeitos”. 

Para evitar um eminente novo golpe de Estado

Edição nº 1567 - 21 de Abril de 2017

O eminente jurista Fábio Konder Comparato numa entrevista  na Carta Capital  de 12 de abril de 2017 ponderou que, face à desmoralização dos dirigentes políticos e da corrupção generalizada “é bem possível outra intervenção extralegal para impedir a continuação disso tudo; não está fora de cogitação um novo golpe de Estado”.