Jornal O Estado do Triângulo - Sacramento
Edição nº 1595 - 03 de Novembro de 2017

Crônicas

Sacramento dá adeus ao amigo Dídia do Táxi

Edição nº 1577 - 30 de Junho de 2017

O corpo de Adercides Ribeiro da Silva foi velado na Loja Maçônica Acácia do Borá,  da qual era irmão desde 1988.  O espaço ficou pequeno para comportar familiares e tantos amigos e conhecidos que queriam dar-lhe o último adeus. A avenida tomada de veículos e pessoas. Desnecessário buscar palavras para descrever a dor e o sofrimento dos familiares e dos amigos mais chegados. Mas era impossível segurar as lágrimas diante da perda de pessoa tão querida. 

Uma repactuação social necessária

Edição nº 1576 - 23 de junho de 2017

Seguramente não estou enganado se disser o que se está passando na cabeça das pessoas e se ouve por todas as partes: assim como está, o Brasil não pode continuar. A corrupção generalizada, porque foi naturalizada, contaminou todas as instâncias públicas e privadas. A política apodreceu. A maioria dos parlamentares não representa o povo, mas os interesses das empresas que finaciaram suas campanhas eleitorais. São velhistas, perpetuando a política tradicional das coligações espúrias, das negociatas e dos conchavos a céu aberto.

Uma repactuação social necessária

Edição nº 1576 - 23 de junho de 2017

Seguramente não estou enganado se disser o que se está passando na cabeça das pessoas e se ouve por todas as partes: assim como está, o Brasil não pode continuar. A corrupção generalizada, porque foi naturalizada, contaminou todas as instâncias públicas e privadas. A política apodreceu. A maioria dos parlamentares não representa o povo, mas os interesses das empresas que finaciaram suas campanhas eleitorais. São velhistas, perpetuando a política tradicional das coligações espúrias, das negociatas e dos conchavos a céu aberto.

O porquê das eleições diretas já

Edição nº 1575 - 16 de junho de 2017

Todos reconhecem que estamos mergulhados numa profunda crise, das mais graves de nossa história, porque recobre todos os âmbitos da vida social e particular. O fato da crise significa que perdemos as estrelas-guia e nos encontramos num voo cego, sem saber para onde vamos. Ninguém hoje pode dizer o que será o Brasil nos próximos meses. Por isso não é verdadeira a afirmação de que as instituições estão funcionando. Se funcionassem não haveria crise.

O milagre da mesa posta

Edição nº 1575 - 16 de junho de 2017

Vem de muito longe o meu encantamento por uma mesa posta, seja para o café da manhã, para um lanche, um almoço ou um jantar. Trata-se de um ritual cujo sentido sugere acolhimento, gentileza, primor. Uma mesa posta é um hábito salutar do qual nunca abro mão. Talvez, por isso, preciso explicar o título desta crônica: O Milagre da Mesa Posta, pois, no meu entendimento, há um misterioso milagre encontrar numa casa, ainda que despojada e simples, uma mesa posta à espera dos que possam dela desfrutar!  Para mim, acolhimento puro!

A força política da esperança face à situação atual

Edição nº 1574 - 09 de Junho de 2017

Vivemos tempos de grande desamparo social. Ocorreu uma espécie de terremoto, desta vez, não provocado pela natureza, mas pela própria política.

Dez sugestões para fazer deste um país melhor para nós e os nossos filhos

Edição nº 1574 - 09 de Junho de 2017

1. Diminuir a desigualdade social. Ainda somos um dos países de pior distribuição de renda no planeta, em poucos lugares há tanta diferença entre ricos e pobres. A miséria num país tão rico, é um atestado de incompetência da sociedade brasileira e de seus muitos governos. (...) 

5 de Junho - Dia Mundial do Meio Ambiente: reflexão e desafios

Edição nº 1573 - 02 de Junho de 2017

Vamos pensar juntos? Aproxima-se, mais uma vez a comemoração de uma data histórica: O Dia Mundial do Meio Ambiente, 05 de Junho: Mas comemorar o que? Impactos progressivos da mata atlântica, desmatamentos nas florestas em escala vertiginosa, desperdício vergonhoso de água em tubulações públicas e por aí vai. Entretanto, vamos refletir aqui o quadro de desrespeito e ainda a persistência de desvalorização com a natureza diante dos fatos vistos no dia a dia: Assim podemos meditar e pensar: Comemorar o que senão um dia para reavaliar posturas individuais e públicas diante de tanto impacto?

A fome como desafio ético e espiritual

Edição nº 1572 - 26 de Maio de 2017

Nada mais humanitário, social, politico, ético e espiritual que saciar a fome dos pobres da Terra.

Um místico medieval da escola holandesa John  Ruysbroeck (1293-1381) bem disse: “Se estiveres em êxtase diante de Deus e um faminto bater à sua porta, deixe o Deus do êxtase e vá atender o faminto. O Deus que deixas no êxtase é menos seguro do que o Deus que encontras no faminto”. Daí se deriva o caráter sagrado do pobre e do faminto.

Se fôssemos um país sério

Edição nº 1572 - 26 de Maio de 2017

Se fôssemos um país sério, investigar, acusar e julgar figurões da política seria algo absolutamente normal;

Se fôssemos um país sério, as próprias casas legislativas cumpririam seu papel constitucional de apurar as denúncias e julgá-las prontamente, isentamente, justamente;

Se fôssemos um país sério, a política não seria um caso de polícia;